Header

Header

3.16.2011

Em pedaços





Imagem: Deviantar't



 
Quis  beijá-lo. Mas ele me escapava entre os lábios. E se tentasse tocá-lo, talvez me faltassem os braços.  Quando a loucura me venceu, explorei-o palmo a palmo, receando encontrar por detrás daquela armadura com todas as suas partes soldadas, apenas um esqueleto calcificado.  Talvez aquela sucata metálica  albergasse algo mais do que um fantasma silencioso e absorto que minhas reflexões haviam anunciado. Embruxado, o medo acompanhava-nos. Porque nosso fraco e o nosso forte, era se orientar pelo vôo dos pássaros, para não ter que fazer o caminho de volta, como se temêssemos que aquela rota nos levasse invariavelmente ao passado. Era isso o que amávamos. Os obstáculos. Não fosse o luto carregado, num movimento de repetição que nunca é mesmo, eu poderia dizer que era o ódio o que nos havia ressuscitado. Como sempre, estávamos enganados. Não fosse a paixão e o desejo que nos tivesse alimentado, já teríamos evaporado. Como dois prisioneiros de nós mesmos, em nosso orgulho, definhávamos. Mais uma noite em claro, deixando de vivê-lo para apenas imaginá-lo. Como se quisesse memorizá-lo entre os dedos, escrevo. Fosse ele um papel e eu pudesse rasgá-lo em pedaços. Fosse esta porta trancada e não simplesmente encostada, à espera de que ele possa empurrá-la. Fosse este um quarto sem janelas por onde os ventos não me sussurrassem este aviso sem palavras. Não fosse esta sombra toda noite andando pela casa e tropeçando em minha cara. Eu já teria encerrado este monólogo surdo.  Esperava em silêncio. Enquanto isso, os fios invisíveis do destino teciam seus bordados naquele incontornável  pano negro de fundo.  Aonde o fim não era um ponto final absoluto. Era, antes, o começo de tudo.



Pipa.


36 comentários:

Loa Karen disse...

O fim como começo de tudo é simplesmente contraditório.. Mas acontece, e como acontece.

Rafaelle Melo. disse...

"Porque nosso fraco e o nosso forte, era se orientar pelo vôo dos pássaros, para não ter que fazer o caminho de volta, como se temêssemos que aquela rota nos levasse invariavelmente ao passado."


O fim é a obrigatóriedade dolorosa para que algo novo possa nascer.

Olhar para frente sem voltar-se para o também belo passado que precisa calar-se.
Abrir mão de ser o que já tivera sido, e rasgar em coragem todas as possibilidades do que se pode ser.

Processo por vezes lento. Espera sufocante. Abandonos tão necessérios e um suspiro, com o coração a marcar o ritmo, mostrando que vale a pena. Ah, como vale a pena !


Me calo diante dos seus ares, dona Pipa! O que eu diria já foi dito.

Te acalmo.
Me acalmas.
Esperamos.

Anônimo disse...

Me desculpe Pipa, mas eu também tenho poderosas razões para acreditar que ele é casado. Se não o que explicaria amarem os obstáculos? Pipa, quer um conselho? Já leu sobre a função social da amante? É manter os matrimônios. Pipa, eu gosto de você e quero o seu bem. Sei que seu coração é bom e sua alma é pura,sabe o que eu acho que ele quer? Só uma ajuda para continuar casado. Falo por experiência própria. SAI DESSA, Pipa. Porque quanto mais o tempo passar, mais dificuldades terá para recomeçar a sua vida. Isso é fato. Como seus textos me emocionam. É como se eu estivesse lendo um livro sagrado.

Se for casado,ele é mesmo um Monstro. E eu sei exatamente o que você sente. Acredite.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Anonymous,


Eu o chamo de Monstro porque ele é uma das únicas coisas que ao meu sentir, fica deliciosamente saboroso no chocolate.

Dizem as más línguas, que quando as pessoas se empenham em pintar alguém de Monstro, ou ele é um santo, ou elas não estão bem informadas, rs.

Querida, acha mesmo que eu seria capaz de esvaziar minha alma para uma outra compromissada? Se tiver a chance de sair dessa, e desculpe, espero que tenha, seja mestre de suas obras. Nem que para isso tenha que consertar o mundo a marretadas.

Vem beber comigo este copo d'água. Dizem que ele cura tudo. Até sensibilidade exagerada.

Acho que nem preciso repetir que ele é SOLTEIRO.

Te abraço com respeito.

Anônimo disse...

Sempre belas palavras e criações... Consegui imaginar todo este mundo que voce já havia imaginado antes e conseguiu traduzir em palavras. Tenho muito orgulho de você.
Louies

Winny Trindade disse...

"Mais uma noite em claro, deixando de vivê-lo para apenas imaginá-lo. Como se quisesse memorizá-lo entre os dedos, escrevo. Fosse ele um papel e eu pudesse rasgá-lo em pedaços. "

Porque é sempre assim, mas depois passa.

Sempre gosto daqui, doce Pipa.

Abraço meu.

Sabiana M. disse...

Aplausos pro teu texto e pro teu carinho com quem entende errado.
Eu não busco enteder... só sinto!
E também sei que fim é começo!

Bjus

WILSON disse...

Pipa...

Se publicasse um livro, eu arriscaria pelo menos sete milhões de exemplares vendidos. Agora se eu te contasse o que sinto. (...)

Eu o cumprimentaria com a mesma mão que não lavei depois de...(rsrsrs)fechar o meu cinto.

Não precisa aceitar este comentário. Basta engolí-lo ou rasgá-lo em pedacinhos.




Wilson, seu amigo, o terceiro homem.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Wilson

As conveniências psicológicas exigem que nos separemos. Oh céus Wilson, você esgotaria a paciência até de um camelo!

Sara disse...

É impressionante como você escreve.

Simone Oliveira' disse...

Olá querida, estou passando pra divulgar o sorteio que está rolando no meu blog. O ganhador poderá escolher o livro que quiser, a seu critério!
Passa lá e confere! Vale a pena participar!
Participe e divulgue, quanto mais divulgar mais chances extras terá de ganhar!

http://nas-entrelinhaas.blogspot.com/2011/03/promocao.html

Beijos!

Anônimo disse...

"Atravessamos o deserto do Saara -
o sol estava quente e queimou a nossa cara -
Alla-lá-ô " /
Güenta/Não guenta.
Não me leve a mal, mas eu vou dar o troco - eu vou fazer vc chorar:
Tirando os sapatos
lembro vc sussurrando: Cacilda!
de estar de saco cheio dessa vida maluca
e afim de não fazer nada,
sumir no mapa;
estando assim o q contava era saber sua lógica, rasa:
a rudeza, uma fração -
a insídia, revelação -
"inconstante, a razão."
Camelão.

IsnayraPacheco disse...

Queriida, ameeei tudo por aqui ! *.*
Estou seguindo agora porque teus textos são muito lindos mesmo .
Fiz um post lá no meu blog com um trecho seu. Linkei você também. Causa encantamento muuito rápido em quem lê. Fato .
Beijos meus :*

Roberta Mendes disse...

Quando cheguei em casa, encontrei na sala os picotes de um papel rasgado. Pela irregularidade dos pedaços, vi logo que não era confete. Peguei uma pinça, uma lupa e sentei-me a reconstituir o manuscrito, tentando adivinhar sob o tremor da letra a seqüência exata das palavras. Foi quando me dei conta de que, no verso de cada palavra havia o pedaço de uma fotografia. Ainda não consegui decifrar se a imagem é tua, se a imagem é dele.

Carmen, disse...

Em cada passo que eu dava nessa dança
Ia perdendo a esperança
Ele sacou a minha esquizofrenia
E maneirou na condução
Toda vez que eu errava ele dizia pra eu me soltar porque assim me conduzia..

Isso é o que o amor faz..'

Acredite.

Keli Wolinger disse...

Em pedaços.Tudo fragmentado na alma, para depois remontar este quebra cabeças inúmeras vezes. Até decorar cada peça e saber exatamente como transformá-la em apenas cacos soltos esperando a hora certa para se remontar.

Ofereço meu abraço com carinho.

Ceres disse...

Sempre enigmática e ultra-sensível, voa suave, hein, Pipa?

Sinto uma poesia do jeito que você escreve mas, parece, que não há nada que reste a lhe ser dito... :]

Leo disse...

Como seria bom se todo final absoluto fosse o começo de tudo. Às vezes, há começos que são finais, o que não acredito que seja nesse caso, acho que é sempre começo.

Te beijo, com amor.
Te Saro, com carinho.

BLOG DO PROFEX disse...

O durante deixamos vazar pelos dedos. No limite percebemos o valor das coisas.
Mantenha-se em equilíbrio leve, como pipa que és...

Roberta Mendes disse...

Pipa, querida, ajoelhei-me sobre suas palavras-grãos em penitência, como no dia em que minha mãe gritou comigo porque peguei o cordão espesso e rebrilhoso no quintal e pus em volta do pescoço. Entrei em casa vaidosa de meu adorno, meu tesouro de prata. Desfilei com afetação nobliárquica ante minhas irmãs e minha mãe boquiabertas. Tinha ao colo uma cobra-cega ou cobra-de-duas-cabeças. Mas mãe, eu dizia, esbulhada de minha jóia entre gritos, era macia, entende?, macia!

E, sim, eu sei que você me entende. E que me transcende.

Te abraço amarelo,
Roberta

Rodolpho Padovani disse...

Todo fim traz o um novo começo, não é? E aos pedaços se faz algo inteiro, nem sempre as vontades se manifestam quando mais queremos sua realização, mas cedo ou tarde, se tivermos fé e ousadia, conseguimos aquilo que queremos.

Beijos.

Patrícia disse...

Isso me lembra WITH OR WITHOUT YOU!
Lindo!

Guilherme disse...

Todo fim é um começo. Toda morte é renascer. E certa esteja que a Vida sempre tece bonita, harmonia colorida a nos brindar com tanto. Pena que a gente costume ver em preto-e-branco. :)

Luana Liarkeis disse...

muito lindo seu espaço !!
maravilhoso ""
estou seguindo""

bj" proc"

te espero no meu!

http://osilenciodaspalavrass.blogspot.com/

*Amanda* disse...

Um dia... eu vou conhecer o famoso MONSTRO DE CHOCOLATE!

;)

Etiene disse...

tambem tentei memorizar alguem no meu mini texto hj, =)

beijus e bom final de semana

Mi Satake disse...

Pipa, bom demais o pouco q pude ver de seu blog.

E nesta arelação tão profunda, complicada, amorosamente anelada tantos de nós já pousou, já viveu, se prendeu... quis sair, nao quis.
Perfeitíssa cada frase q colocaste.

Venho sempre te ver, ler!

Beijão
Michelle
elegalepoetico.blogspost.com

C. disse...

;)
bela semana

lindas palavras

seguindo ;)

Caio Nijam disse...

Muito lindo o blog! Parabéns!

Anônimo disse...

Tanto quanto vc pode permitir um aloprado aqui - Dona Pipa
(se não puder manter-me desde sempre em "anônimo desanimado"
em contra-ponto aos demais, mais especificamente: "anoymus"
e q o senhor A.V. muito compreensivamente classificou de desprovidos de intelecto -
mas-q infelizmente(por força das generalidades) fui obrigado a discordar)
venho agora encerrar uma tabla q iniciei lá em "Goles De Sossego"
(de Novembro - é só um tiro de espingarda)
passando por "If It Rise" (dois parmo pra trás/
ensejando q seja observado q a analogia ao mundo rural
("Segura Peão!")
se refere a todos os envolvidos: Meninas, Meninos, Caprinos, Suínos, Bovinos, Equinos, Alevinos - e assim vai)
somemos agora os versos semi-finalizados um pouco acima
e o mais importante q se cumpre notificar
é q a garota ganhou vida
e se posso chamar de música a letreira toda
chama-lo-eia (tal músiga) de
"Pé-De-Cachorro
(Numa Banda Lá Pelos Lados Da Livraria Da Samara)"
Segue o final /
Sigam-me!
Levem-me ao seu líder...

Anônimo disse...

Tirando os sapatos / blá...

Ih-cac'te!
o teu rosto!?
não consigo fixar...
Fico vendo o da garota q conheci há pouco lá na livraria da Samara.
O bom é q mesmo com vc de costas posso ainda contempla-la...
Vc se importa se eu mandar bala?

Dig-rig-rig-
daw-daw-daw...
Dig-rig-rig...
taw.

ErikaH Azzevedo disse...

Pq o fim só é fim qdo acaba e nós sempre insistimos nas "continuâncias"...

O amor sempre caminha para o permanecer, até que decidamos verdadeiramente inverter os caminhos....

Bjos nocê Pipa menina.

Erikah

Anônimo disse...

_ Acho q ela não vai com a minha cara - Doutor /
e fico me perguntando: Poxa vida - Até quando - até quando !?
_ Diga 33 - sim - por favor.

Paixão disse...

Pipinha, sinceramente tenho muita preguiça de ler textos. Ando um tanto impaciente, mas por gostar de "tudoqueficanoar", gosto de ti, Pipinha :)

Uma pipa bonita é uma pipa que permanece voando colorida no céu, sem saber o ritmo que o vento irá forçá-la a dançar ... continue...

Beijos,

http://tudoqueficanoar.blogspot.com/

Camila disse...

Aonde o fim não era um ponto final absoluto. Era, antes, o começo de tudo.

quando isso acontece, fico feliz.
Gostei.

Aline Monteiro disse...

Querida Pipa
Conheço bem esse monstro..
monstro esse (que não me deixa dormir!!) me deixando tão solta ao mesmo tempo que me prende tanto... Admiro-te pela profundidade de suas palavras que se encaixam perfeitamente com a minha triste realidade. Amamos o mesmo monstro? o meu também é solteiro.