1.24.2011

Gira mundo





Imagem: Deviantar't






Tem alguém aí? Minha voz ressoou numa sucessão de ecos distintos com a caridade de quem queria recompensar o vazio.  No céu, uma chuva que não passa. Só pode ser Deus se desfazendo em lágrimas. Atrás das vidraças, o vento cospe uma neblina gelada como se quisesse manter distância da frieza que os separa. A noite, mais escura do que nunca, desaba sombria e transparente como uma dama enlutada. Há de ser um instante em que não se veja uma lua brilhar. Em que não se ouça senão o eco tamborilante desse teclado a catalogar estrelas de sete pontas que mais parecem cicatrizes fosforescentes - doem só de olhar. Virá. Hei de tirar as gazes das pálpebras e dependurá-las naquele mesmo horizonte, onde aquelas borboletas amarelas me viram passar. Quis tocá-lo, mas não tinha nem braços. Sofro. Por já não saber quem sou e nem do que tanto fujo. Na parede branca e enferma, o ponteiro do relógio parece mais lento, como se caminhasse para as últimas voltas. Quer parar. Desmonto-o. Reúno todas as peças e as coloco sobre o chão. Tenho pressa, não escondo a tremura invisível das pernas. Quando chegar o momento de partir em busca de novas horas, entregá-lo-ei  ao Deus do tempo que passa e me convida a subir com ele na sua locomotiva de latão. Lá vem ela. Deslizando a plataforma num silêncio cheio de gritos que agora começa a me roubar as palavras. Estou com as mãos afundadas nos bolsos dos que não sabem se vão ou se ficam. Ainda há tempo - suspirei na entrada da estação. Sentei-me no último vagão. Dos que viajam sozinhos espreitados apenas por corredores de sombras que os separam. Já amanhecia o dia, quando olhei para a janela a convidar-me a ser aberta, a misturar-me com ela e ser talvez uma paisagem. Quem sabe para além dessas horas, que não as de agora, eu me confunda com o correr do tempo, para esquecer essas memórias que sempre regressam? Gira mundo. Ainda que seja por um milagroso segundo.




Pipa.

18 comentários:

H. Machado disse...

É preciso muita força, muita força, muita força. (Dele)

MarceloMM disse...

Gostei muito! Me parece uma busca por si em meio ao tubilhão de uma mente...
Parabéns!
Beijos!!
P.S. Já visitou o meu? rsrs

Ju Fuzetto disse...

Mesmo com a memória rodopiando intensamente, dá pra sentir o calor de uma prece!!

"Que seja doce"

Um beijo linda Pipa

Júh Albuquerque disse...

Gira mundo!! E como gira!! Numa velocidade tão grande que a grente se perde no meio de tantos pensamentos...lindo texto!!!

bjo!!

WILSON disse...

Pipa,
Penso sobre o amor.
Não foi você quem o deixou. (Digo o amor) Foi você a abandonada. Na pior das hipóteses os problemas de consciência são dele, não seus.

Essa roda que começa a girar agora é nada mais nada menos que a sua consciência. De que fez tudo o que estava ao seu alcance para tê-lo de volta. E acredito que tenha conseguido. Mas os egos de vocês provavelmente não cabem na mesma cama, o que geraria uma crescente luta por espaço. De qualquer forma ele optou por outro caminho. E agora é a sua vez de girar a roda.

Pipa acredite, a sorte mudará cada volta.
Entre nessa locomotiva de latão que são as horas. Não se esqueça de que para a viajante isso não é novidade. Ela já perdeu, já ganhou. E muito embora esteja com o emocional comprometido, por se julgar violentada, saiba que és igualmente responsável pela sua própria realidade. Trabalhe o desapego, a virtude de ficar entregue, porque sucesso ou fracasso são apenas símbolos, e todos passam.

Se a janela dessa locomotiva de latão está aberta a convidar-te a ser paisagem. Aceita. Não há nada que impeça a renovação do espírito. Contemple a vista, está mais perto de atingi-la do que realmente acredita. Atingi-la significa que desapegou-se. O teu relógio não dominará o tempo e muito menos o destino. Então as coisas ruins ou boas de qualquer jeito vão nos enriquecer. A questão é : saber o que fazer.
Então vá fundo na dor, até enjoar. Porque quando menos esperar a roda vai começar a movimentar e o que está em cima descerá e o que está em baixo subirá.

Pipa,

Te vejo lá em cima.

Aquele carneiro com hortelã no Bistro do Bel foi de matar.


Wilson, seu amigo , o terceiro homem.

Max William Morais disse...

E o mundo gira: e lá vamos nós com ele... Com nossa cabecinha para fora da janela; num sacolejo incessante, com muitas pessoas procurando um real trajeto: vamos, vamos – para quem não sabe onde soltar continue no trem!... (...) Ótima prosa, bem dançante e singular... =D

Tiago Betel disse...

Ainda que quisesse seria muito pouco pra quem vive um turbilhão de medos...
Existem momentos que são maiores que nós, eles param... e passam.
Nós ficamos, esperando que gire.
Enquanto a memória gera, os giros da memória.

Forte e vivo o teu texto, parabéns.

Ludimillyc disse...

"Que seja doce"
aeaeaeaeaee

Muito lindo!Parabens!
seguindo Pipa/ Da uma passadinha la no meu, se gostar seguee/
Beijoo =**

Patrícia disse...

Adorei.

Me vi ali. "Sofro. Por já não saber quem sou e nem do que tanto fujo."

Beijo

blog divulgação disse...

Estou visitando seu blog para convidá-lo a participar de um evento que está sendo promovido no meu blog.

Minha proposta é ajudar na divulgação de blogs, possibilitando que os blogueiros sejam mais reconhecidos na blogosfera assim como conheçam outros blogs interessantes.
Nesse primeiro evento, você blogueiro ajuda a divulgar seus blogs favoritos, num próximo evento já previsto, você divulga o seu blog no nosso espaço. Diversos eventos serão realizados com periodicidade constante.
É a sua chance de divulgar seu blog, ganhar mais seguidores e reconhecimento.É também uma grande oportunidade para conhecer outros blogs.

Participe desse primeiro evento. Siga o blog DIVULGAÇÃO.Transforme-se em um divulgador de blogs. Promova seu blog e seus eventos. Contribua com esta idéia e ajude a transformar esse blog em uma revista especializada em garimpar, divulgar e compartilhar talentos na blogosfera.

Desde já agradeço

Ana (Blog Divulgação: www.revistadosblogs.blogspot.com )

blog divulgação disse...

Estou visitando seu blog para convidá-lo a participar de um evento que está sendo promovido no meu blog.

Minha proposta é ajudar na divulgação de blogs, possibilitando que os blogueiros sejam mais reconhecidos na blogosfera assim como conheçam outros blogs interessantes.
Nesse primeiro evento, você blogueiro ajuda a divulgar seus blogs favoritos, num próximo evento já previsto, você divulga o seu blog no nosso espaço. Diversos eventos serão realizados com periodicidade constante.
É a sua chance de divulgar seu blog, ganhar mais seguidores e reconhecimento.É também uma grande oportunidade para conhecer outros blogs.

Participe desse primeiro evento. Siga o blog DIVULGAÇÃO.Transforme-se em um divulgador de blogs. Promova seu blog e seus eventos. Contribua com esta idéia e ajude a transformar esse blog em uma revista especializada em garimpar, divulgar e compartilhar talentos na blogosfera.

Desde já agradeço

Ana (Blog Divulgação: www.revistadosblogs.blogspot.com )

Roberta Mendes disse...

Dói-me nos vagões os degraus vazados, que são o limiar de acesso, precedidas por aquele pequeno fosso, a que é preciso dar atenção. Em toda a estação ecoa o aviso: "mind the gap" e nunca sei se falam do fosso entre a plataforma e o vagão ou se deste outro fosse entre as vidas, nas relações... De toda forma, anoto a advertência, antes de dar o próximo passo.

★★ GIZA ★★ disse...

oi flor
tem selinho para ti no blog:
http://amorimortall.blogspot.com/2011/01/selinho-amor-imortall.html
me segue por lá também
beijos

MAILSON FURTADO disse...

Belo post!!

Belo blog...

Gostei pra caramba, voltarei aqui mais vezes...

Convidaria vc a conhecer meu trabalho (poesia, teatro, música)

Ficaria feliz demais!

http://mailsonfurtado.com

Keli Wolinger disse...

Como sonhos dourados gotejando no papel,desistir não significa não tentar. È de certa forma um contentar-se com o por enquanto não.

Pétalas de glória e luz para você..

Keli Wolinger disse...

Como sonhos dourados gotejando no papel,desistir não significa não tentar. È de certa forma um contentar-se com o por enquanto não.

Pétalas de glória e luz para você..

O que Cintila em Mim disse...

Ah tem pena desse rodopiar que atormenta e faz esquecer...

Eliane Ratier disse...

Hummm, Pipa, Pipa, adorei esta tua pergunta instigante junto aos comentários, começo este recadinho respondendo às tuas questões. Minha alma é como escada rolante, os degraus vão e vem e mudam de tamanho neste movimento.
Muito prazer, te vi no blog do Carpinejar e vim para uma visita. Gostei do que vi, inscreverei-me seguidora e te convido para um passeio no http://elianeratier.blogspot.com
Abraço de Eliane, Ribeirão Preto