10.05.2010

Das coisas que se perdem



Arte: © Agócs Írisz


 

 
 
 
Sei o que é perder um amor quando ainda se precisa dele. Já estiquei todas as pontas dos dedos para trazê-lo de volta, não alcancei mais. Minhas aspirações davam a entender que a parte dos dias que  me caberia viver não passaria de histórias que talvez nunca chegassem a se completar, nem mesmo no papel. Não tenho a oferecer nada além de um coração cortado, costurado e sem uma moldura traçada para sustentá-lo no ateliê de minhas esperanças. E não há nada que me faça deixar de sentir, ainda que tenha entregado cada folha ao barulho das tesouras.  É com tristeza que vejo esvoaçar cada página de um sentimento meu. Elas pousam serenas num pisoteado chão de festa, que, apesar de ter amanhecido, não  encontrou seu final. Enquanto escrevo, fico olhando nossas fotografias tentando imaginar se ainda se lembra de nós. Toco o seu rosto com as mãos e o baú se fecha, guardando-nos num momento que não é mais o nosso. Fomos deixados sobre um tempo em que tudo enferruja, a começar pelos sonhos e a terminar pelo coração. Apenas minha caneta nos memoriza. Recordarei, algum dia, o amor que vivemos. Talvez com outra caneta, que não a dessa história que já não nos pertence. Quero me lembrar de quem eu teria sido se tivesse ficado com você. E vou rabiscá-lo neste papel até que a tinta seque e  nossas cores não se misturem mais. 





Pipa.

58 comentários:

carlota disse...

Será que os anjos resolveram se vingar de nós, só vejo gente sofrendo pelo mesmo motivo, caramba leio seu texto que me faz chorar mais um pouco, quando será que nossas lágrimas secarão?

Andrey Brugger disse...

Lindíssima, Pipa.
Você pertence ao céu mesmo. Lindo texto, lindos textos nesse seu espaço!

Beijo

dansesurlamerde disse...

Pavese disse que das coisas que queimam, só o sol permanece.

mas a marca da queimadura continua pra sempre ou quase por aí, eu acho.

beijo.

Nati disse...

Sabe, as vezes é preciso abrir mão de nossos mais lindo e doces sentimentos. As vezes é preciso mesmo se deixar sentir ou chorar e porque não sofrer? Lá na frente SEMPRE somos surpreendidas com um DEUS que é SOBERANO e enxerga muito mais além, daí como num despertar agradecemos por ele não nos deixar cair nos enganos de nossos corações.
Sei que ficará bem, eu oro daqui.
"Tudo que DEUS faz durará eternamente" [Eclesiastes 3;14]
Um abraço ensolarado pra dentro.

Franck disse...

'Sei o que é perder um amor qdo ainda se precisa dele'... Eu tbém sei, minha cara, eu tbém sei!
Bjs*

...kaka... disse...

Lindo seu texto...de uma sensibilidade incrivel....descreve perfeitamente o que se sente longe da pessoa amada...parabéns!

Cristiane Melo disse...

ah querida pipa, sinto algo confortante em ler essas palavras que narram a minha própria história... saber que alguém viveu algo parecido é quase um alívio, por saber que dor de amor, não é de mentira, que dói e que se faz real em cada segundo de um pensamento insano. resta entender e aceitar que quem não tem dor de amor pra sentir,não existiu se quer um dia, passou por este mundo como chuva de iverno, apenas mais uma!

afago alheio :)

::::FER:::: disse...

quando eu ja não procurava mais, encontrei!


:::FER:::

Dália disse...

Engraçado como até sofrimento de amor é bonito, não? Ou será que é você que tem um certo dom pra transformar sofrimento em beleza?

Que bom que você gostou de conhecer uma dália.
Somos opostas, né? Você no ar e eu de pés firmes na terra. Mas é bom aprender a voar um pouco também.
Que a primavera te traga muitas coisas boas.

E sim, a gente se vê no ar. Até por que, eu adoro o seu ar... sempre me inspira muito.
Parabéns!

Gislãne disse...

"Sei o que é perder um amor quando ainda se precisa dele"
Já eu não sei o que é isso!

:)

Carol Fonseca disse...

Falar de amor tanto me fascina quanto me entristece... Eu busco algo maior,e as pessoas parecem não entender isso...
lindo texto pipa.
beijo cheio de boas vibrações.

Be Lins disse...

...
eu diria mais,
a ausência nem é um lugar,
é um vácuo, ou um eco de vozes
que sentem dor,
parece ser um burado negro muito parecido com o oposto do paraíso.

Não é mesmo?

[o texto está magnificamente doído]

Noe* disse...

As bonitezas não saem daqui... adoro!

Marília Gabriela disse...

querida Pipa!!

hoje eu chorei muito!
Ainda estou aqui ,.. chorando.. com um monte de palavra engasgada...com o texto parado na garganta...

posso republicar vc!!???

Pq hoje eu tinha tanto tanto pra dizer.. mas não consigo.. eu só faço chorar.. e chorar...
Tão triste.. tão só!

grande beijo

LUZIA disse...

"Sei o que é perder um amor quando ainda se precisa dele"


Eu também sei Pipa, e cá entre nós, é muita dor pra um só coraçãozinho. A dor passa, mas a lembrança fica...

Beijoo

Márcio Vandré disse...

Não adiantar lembrar de sonhos que nunca foram.
Ilusões não constroem a vida. Ao contrário, derrubam-a.
Louros para quem depois de um desalento consegue continuar a respirar...
Um beijo, Pipa!

Willyan Luemi disse...

Agora fostes a tua vez, minha menina. Fizeste de mim silencio, me calaste, sequestraste ternamente qualquer resposta convicta, me convidaste à um longo momento de meditação. Precisei de um tempo em repouso, ainda preciso. Esse vínculo invisível, essas palavras trocadas no vento tem um peso imensurável do lado de dentro do que nunca aconteceu. Um mistério tão profundo quanto os vestígios do imerso reino mágico de Atlantis. (Existe?)

Abriga-me por um instante no escuro seguro de teus olhos fechados? Só até eu me tresnortear, eu prometo.

Através do amor,
Te,
Me.

Giardia disse...

Tão real que tocou fundo, bem fundo.

http://www.youtube.com/watch?v=QR8Z7yVy8uA

É uma música de Arnaldo Antunes, 'Contato Imediato'.

Acho que vc vai gostar.

Uma boa quartinha.

Lia Araújo disse...

Pipa minha amada...
cada palavra que vc escreveu foi sentido no meu corpo... eu to tão triste hoje, tão triste...

Eu sei que o é precisar do amor por perto e ele está sempre inatingivel... sei da esperança dele lembrar da gente, dele sentir saudades... sei o que é ter o coração rasgado em tantos pedaços que vc acha que não sabe como ele ainda ama com cada pedaço de trapo...

Pipa minha querida...
Vc me fez chorar,... lembrando de um amor que me machuca todo dia...


bjos querida

Pelos caminhos da vida. disse...

Às vezes precisamos abrir mão...

Obrigada pela sua companhia, volte sempre.

beijooo.

Priscilla Marfori... disse...

Ahh... como eu adoro ler e sentir...
Melhor do que só entender a leitura é poder vive-la no momento em que se está lendo...
Obrigada por isso!
Belo blog e grande abraço.

Bruna Guedes disse...

sensível e choroso.

Sara disse...

Oh Pipa, minha menina, sabe que a caneta vai acabar a tinta e tu vais encher outra vez com uma tinta de cor diferente, ainda escreverás muitas histórias e fotografará muitos sorrisos...beijinhos!!

ErikaH Azzevedo disse...

O amor não dói no que fica mas no que não é mais e dói sim, dói demais...parece que nossa historia de vida foi cortada ao meio e ficamos a vagar em busca dessa outra metade. A caneta é apena uma das tentativas na busca de se preencher vazios, e até preenche ...só que momentaneamente.

ô minha pipa, te abraço forte e te chamo pra um vôo... a amplitude dos vôos fazem as coisas ficarem menor....lá de cima as coisas parecem sempre pequenas , né!

Te gosto, viu!

Bjos

Erikah

Asas que ultrapassam os domínios do Sol disse...

Oi Pipa,
primeiro preciso te agradecer pelo poste REANIMADOR, você conseguio me afetar!
Mas por hoje que te deixar essa "Música" (Vanessa da Mata)
Música Vanessa da Mata
Nosso sonho
Se perdeu no fio da vida.
E eu vou embora
Sem mais feridas,
Sem despedidas.
Eu quero ver o mar.

Se voltar desejos
Ou se eles foram mesmo,
Lembre da nossa música,
Música.
Se lembrar dos tempos,
Dos nossos momentos,
Lembre da nossa música,
Música.

Nossas juras de amor
Já desbotadas.
Nossos beijos de outrora
Foram guardados.
Nosso mais belo plano
Desperdiçado.
Nossa graça e vontade
Derretem na chuva.

Se voltar desejos
Ou se eles foram mesmo,
Lembre da nossa música,
Música.
Se lembrar dos tempos,
Dos nossos momentos,
Lembre da nossa música,
Música.

Um costume de nós
Fica agarrado.
As lembranças, os cheiros
Dilacerados.
Nossa bela história
Está no passado.
O amor que me tinhas
Era pouco e se acabou .


Um abraço igual
De sua amiga alada, Hilda

Mademoiselle disse...

Olá querida! Tempo que não passo por aqui. E quando passo, vc diz exatamente como me sinto. Já faz tempo, mas ainda dói pensar em tudo o que se passou e não passará mais. A única coisa que dá pra esperar é que amanhã o céu continue azul e traga um pouco mais de fita adesiva pra colar os estragos causados pelo choque de dois mundos. Mas posso dizer que acredito mesmo que um dia tudo isso vai passar, é só uma questão de tempo. O que não se pode é deixar de acreditar nisso. Enquanto continuarmos esperando o melhor talvez realmente consigamos.
Etâ vida difícil! ._.
Hehehehehe
D-s fique contigo.
Bjoo minha Pipa. =]

Sil.. disse...

Pipa,

Sei o que é perder um amor quando ainda se precisa dele.
Mas uma hora, a gente ve, que a gente precisa sobretudo, do nosso amor.
Esse, tem que ser maior.
O amor NOSSO, do que pelo outro.

Teu blog é de encantar mais e mais!
Coloquei coisas suas lá no meu tá?
É de arrepiar as coisas que saem da sua alma.
É linda, eu posso ver!

Um beijo na testa!

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise disse...

Uma cicatriz risonha e corrosiva marcada a frio ,ferro e fogo em carne viva.

que agente esfrega,nega....mais não lava.


Ninguem melhor que Chico para falar de cicatrizes.

Somos cheia delas.

afagos de mercurio cromo(se é q isso ainda existe rs

Jessy Rodrigues disse...

De um completo "não querer aceitar a verdade" é que se sofre, é que se chora, é que se machuca! A realidade não te faz sofrer é quando tu foges dela que você sofre, quando você a tenta ignorar! A verdade está ai, não se engane, não se iluda.. viva a realidade!Aceite. De uma certa irritação, a vida o que é? o que quer? Eu estou vivendo, mas não sempre compreendendo! Me diz então se não estou certa...Somos peças de um eterno jogo, onde amamos! Amamos um alguém, que ama um outro alguém, que ama um outro que finge amar alguém que o ama.Eu gosto de variar o final das histórias, mas no fim todos eles sofrem! é como a Maria que amava o João que amava a renatinha que amava o Ricardo,que amava a Carol que amava o Thiago, que amava a Patricia, que amava o Pedro, que amava a Rebeca, Que amava o João que amava Maria.é de um querer infelicidade? Não! Porque se pensarmos no lado bom, todos amam, tem um amor. E amar é ser feliz! Embora não sejamos correspondidos, embora a pessoa que amemos sempre vai amar um outro alguém.. Jamais deixamos mesmo assim de amar, de viver e ser feliz..

éo que penso...
Beijos estalados!!!

Rafaelle Melo. disse...

Ahh, Pipa! Isso não se faz!

Vir até aqui é sempre um encontro comigo, e ai não se tem mais controle. A alma nos encara e não se tem como fugir...

"Não tenho a oferecer nada além de um coração cortado, costurado e sem uma moldura traçada para sustentá-lo no ateliê de minhas esperanças."

Mas eu ainda acredito, cara Pipa, que a dor pode fazer renascer, que a morte precede a ressureição. Difícil é agente deixar morrer! Nascemos para vida, mas o paradoxo é que a única certeza é a de morrer.

Vejo que o mais belo da vida é partilhar vôos, é dar as mãos...Se por um segundo o som das tesouras cessaram é a prova de que a dor não é pra sempre...

A minha janela irradia uma luz, não por não haver ausências mas por existir fé.

Te abraço
Me abraças
E resignificamos nossas esperanças!

Wolber Campos disse...

Olá Pipa! Tudo bem?

Li um texto seu no blog da Sil e reslvi lhe visitar. Seu blog é, realmente, excelente. Parabéns!

Este texto, mesmo tratando de um assunto difícil como um término, é leve e bonito. Difícil conseguir isso.

Um grande abraço!

Mari e Poly disse...

Que coisa mais lindo isso aqui...

fofo e cheio de vida

Elis Barbosa disse...

Pipa, pego na sua mão toda vez que leio de amor nos textos assim postados (prostados?).

Esse me lembrou um desabafo antigo que continua abrindo o baú de certa saudade com a qual aprendi a dividir o mundo nos últimos cinco anos. Tá nesse endereco aqui: http://sejacomoforqueseja.blogspot.com/2007/04/ai-ai.html

Te acolho cúmplice, te abraco quente.

Beijo estalado,
Elis

lani. disse...

" Sei o que é perder um amor quando ainda se precisa dele. "


Sei a dor que é!

beiiijos, blog lindo de morrer!

Margot Félix disse...

Que blog lindinho! Adorei aqui!

Bjos, Margot Félix!

Danny disse...

"E nossas cores não se misturem mais"..

Fiquei a ler diversas vezes..
Me fez pensar em como não sei perder, sofro por não saber perder...

Jana Monte disse...

Seu blog me tras aquela senação boa de infancia, acredito que por causa das imagens.
Muito fofo!

Gostei do post, meio tristinho, acho que por eu estar no avesso do que é relatado, mais muito bem escrito, muito tocante!

Xeruu

=***

Pollycléssio Mota Sá disse...

Quando já não se consegue matizes vibrantes...
E a mistura dos cor-ações não se move mais, nem pra um lado, nem pra o outro...
Ainda assim
Com a tinta quase no fim
Precisamos pincelar...

...

Se soubéssemos que uma figura desenhada por nós, algo que levaria anos para se construir pudesse acabar em apenas um acidente, começariamos nosso quadro? Assim também não é com a vida? Sabemos que um dia morreremos, mesmo assim, temos e buscamos forças, para pintar e construir. De alguma forma vale a pena.

Porque quando olhamos pra o passado, e vemos o as tintas que usamos, as preciosas gotas que deixamos por descuido cair no chão, mas principalmente aquelas que conseguimos aparar com a mão, buscamos forças dentro de nós mesmos para pintar um novo quadro, ainda que de uma só cor... o que vale é permanecer pintando... a vida... a esperança... o amor...

Viva
Espere
Ame

Beijos do Polícleto

Alvaro disse...

Coração cortado e costurado eu também tenho. E com uns remendos de lata.
Ao ler bulas fico atento à posologia. Mas passo batido pela farmacocinética.

Beijo

dear sarah disse...

"Basta sermos felizes nesse mundo, que alguém já quer destruir isso."

E se deixarmos isto aumentar, podemos perder muitas coisas, temos que ter cuido!

Salve Jorge disse...

Amor perdido
Que esvai entre os dedos
Desde cedo
Descobri que não poderia ter sido
Afinal uma vez unido
Só o tempo separa
Mas não aparta
Por mais que as páginas voem
A literatura é farta
Capaz que os versos no vento ecoem
Mais que momentos
Sedimentos
Do que não ficou
Do vôo
Que erode nossas formas...

P.s - Vens?

Jυℓyαnα ツ disse...

Seu blog é lindo *---*
E seu texto me deixou sem palavras...
Parabéns!



;*

Fé Fraga disse...

Pipa, que lindo, me encontrei em cada particula do seu texto... Chorei pra caramba, quase morri, e revivi tanta coisa, sabe? Olha tem um selinho no meu blog pra vc tá?
Um beijo,
Fé Fraga.
http://mefaltaumpedacoteu.blogspot.com

Pollycléssio Mota Sá disse...

ontem conheci uma monstra (que nome feio, poderia ser donzela) de gelo...
depois de seis anos dialogando no espaço...
e muitas tentativas frustradas de juntar lua e sol...
consegui chegar perto...
mas a lua estava gelada...
corri ao seu encontro cheio de felicidade...
recebi um oi de velório...
Falei de toda a minha alegria em vê-la, em poder tocá-la...
ela disse pois é...
não deu...
não acredito que passei tanto tempo aquecido pra congelar tão rapidamente assim...
mas eu sou forte...
sou sol...
bjao polícleto

Cristiano Guerra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiano Guerra disse...

Mais uma de amor, sim? Pergunta besta, claro que é. Quando não estamos relembrando os detalhes pela quinta vez do anterior, estamos deseperadamente caçando o próximo. Talvez seja uma disfunção humana, ter que valer-se de amor. Ninguém sobrevive sem, e se sobreviver, vive desidratado. Mas não estou falando de você, flôr, estou falando de mim e de todas as pessoas. Daqui a pouco passa, mesmo sendo tão inesquecível como foi. Eu não posso dizer muita coisa, meus amores já não estão mais aqui. Mas tenho uma dica, não esqueça de colocar o anti-mofo no baú. Lembrar nunca foi uma coisa ruim, certo? Ah, nem sei mais.


Eu entendo o amor.
Ou não.

Keli Wolinger disse...

Pipa,

Esse livro amarelado, de páginas rasuradas e reescritas incontáveis vezes é algo para se guardar na estante da não lembrança. Seção de arquivos sem leitura temporariamente.Para que depois de passado algum tempo emocional de retiro - possa ser relido e os tons amarelados representem apenas um presente difícil superado pelo futuro bom.

Ótimos vôos para você abraços,

Keli
http://anacronica-keli.blogspot.com

so sad disse...

mais parece uma oração de dor, de amor, de clamor...
beijo!

Leo disse...

Há um lugar onde toda dor e toda lágrima é colhida e cultivada, acho que é pra um dia florescer sonhos e sorrisos.

Eu te sinto triste meu bem, precisamos conversar lá no outro mundo. enquanto isso, junto as mãos e envio a energia boa pra ti.

Um beijo com amor e uma flor.

Cris R. disse...

a vida é tudo o que não se contenta em ser finito.as crianças no quintal ainda estão colando papel e varetas para fazer a pipa, mas elas, eu e o céu sabemos que a PIPA JÁ VOA.

onzepalavras.com disse...

O amor é inesgotável. Até quando as gotas pararam de cair, é possível tirar dele ainda muito para fazê-lo eterno, de uma forma viva ou de uma memória.

Seu texto fala do seu e dos nossos corações.

PS: Obrigada por assistir a chuva cair junto à mim.

Priscila Rôde disse...

"Quero me lembrar de quem eu teria sido se tivesse ficado com você. E vou rabiscá-lo neste papel até que a tinta seque e nossas cores não se misturem mais."

Ah Pipa, ninguém escreve como você! Ninguém!

Sou fã!

Suedivaldo disse...

Oi Pipa, Tudo bem?
Que bacana esse seu blog, muito interessante estou lendo vários textos aqui. Esse mesmo ta incrível. Parabéns pelo Blog e pelos Textos.
Vou continua acompanhando seus textos, pois já tou seguindo já. Segue o meu lá também, tem um trabalho bem bacana.

http://galeriadephotoos.blogspot.com/

Saudações, Abraço!

Suedivaldo

Renata de Aragão Lopes disse...

Que desfecho mais lindo!
É preciso, de fato,
que a tinta seque
por completo.

Beijo,
Doce de Lira

Gata de rua disse...

Completamente perfeito. Sem palavras.

Grande Beijo

Ruth disse...

Doeu bem aqui
(em mim)...

Viviane Gabe Souza disse...

Pipa...Impossível não se emocionar com a tua sensibilidade.Texto lindissímo! Parabéns!!

Tomei a liberdade de postar no blog!
Beeijos *_*