Header

Header

10.11.2010

Marionete sem fios








Arte: © Agócs Írisz








O silêncio entrou pela ponta dos pés, e, sem esperar o convite, apoderou-se de minha escrivaninha. Assim que ele tocou na minha caneta, as palavras se desprenderam do papel como uma marionete sem fios. Estão com medo. Disseram que não vão mais voltar. Dentro de mim há um grito metálico, que não consigo silenciar com palavras ainda que arrancasse todas as minhas cordas vocais. Fios soltos de um véu palatino engarrafaram minha voz de um jeito, que talvez eu não possa mais recuperar. Abro os olhos de par em par. Puro vidro. Ao menor movimento, ameaçam se estilhaçar. Toco este papel na tentativa de me reiventar. Está em branco. Não tem mais nada para me contar. Aceno para o vazio. Ele retribui o gesto, mas sem levantar o olhar. Escuto um sussuro atrás de mim. É o eco dos meus próprios passos. Esmago as entrelinhas, sem saber se são meus dedos ou meu coração que começa a sangrar. As palavras gotejam no papel. E pingo a pingo, vão formando um rio de tinta.





Pipa.

21 comentários:

Noe* disse...

Cruel silêncio. É que me machuca vezensempre!

Bjks =*

Ju Fuzetto disse...

E as cores que pingam tecem a prece do silêncio absoluto!!

beijo Linda Pipa!!

Sil.. disse...

E esse silêncio é avassalador!!!

Ultimamente, nem meus ecos eu ouço!

Pipa, eu adoro te ler, simples assim.

Um abraço forte!
Te quero bem!

Shuzy disse...

Existem coisas que só revelam-se no silêncio... Ouça!

Wolber Campos disse...

Olá Pipa!

Sigo a Sil: adoro te ler. Sou um visitante novo, mas já um grande admirador de seu blog.

Desde os texto, claro, o mais importante, até o desing, tão leve quanto a criança que se balança na imagem com o título.

Parabéns!

Mih_ disse...

✿Booaa Tarde ઇઉ !!!
Quantas palavras lindas!


❀Grande bjo,
Fica com DEUS...

♥_________Mih_

http://descalcapoesias.blogspot.com/
http://trevisanimichelle.blogspot.com/

Manuela Freitas disse...

Simples o teu texto e no entanto tão profundo! Gostei demais.
Bjs,
Manuela

Gata de rua disse...

Lindo, lindo, viu?

Alvaro Vianna disse...

Não tem o que possa conter a enchente de palavras que há em você.
E o vale ficará sempre fértil para o brotar de ideias que são só suas.

Beijo

carlota disse...

Como eu amo o que tu escreve Pipa, eu entendo a necessidade do silêncio, porque de vez em quando ele também me abraça mas não silencie por muito tempo, por favor, que suas letras escorram pelo papel descrevendo nossos sentimentos e emoções, deixe o silêncio pra aqueles que não sabem o que dizem

Camilla Lourenço disse...

Nossa, que lindo.
Seguindo.

Beijos

Márcio Vandré disse...

Eu não gosto tanto assim do silêncio, mas quando ele chega, realmente ficamos mudos perante sua imponência.
O jeito é respeitar, Dona Pipa.
Um beijo!

Leo disse...

Pingo...

Pingo...

vermelho...

Rio...

O rio celebra quando encontra o mar

Pois está morrendo pra se transformar.

Um mar

de beijos...s2

H. Machado disse...

A sua forma de agonizar, é de menina. A minha, é de menino. O resto, é tudo igualzinho.

Gislãne disse...

e o rio se forma a conta gotas.

:)

z i r i s disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dan disse...

um silêncio ensurdecedor
...


http://inskyscraper.blogspot.com/

Thaís Duarte disse...

o silêncio desarma.
sem tempo para vim aqui :/ mas sempre quando venho vejo como tudo ainda está lindo como sempre (:
chêro, querida!

Pollycléssio Mota Sá disse...

confesso que esperava aquela sobre sentimentos
a que vc disse pra eu esperar
na verdade ainda espero
eles não entendem nosso mundo
e como é que fica então?
estou colhendo os cacos de minha decepção
ela me serviu de alguma forma
a monstra de gelo me ajudou
não da melhor maneira
mas me ajudou
bjao
polícleto

Jessy Rodrigues disse...

"Marionete todo o tempo, companheira em todos seus jogos.
Marionete porque quero que se cumpra sempre os sonhos.." ♪♪

Beijos

Isabela disse...

O silêncio, para mim, é uma das formas mais eloquentes de comunicação.

Amei o texto!

Bjs

=)