9.05.2010

Antes que anoiteça








Arte: © Agócs Írisz






"Provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou

mais abaixo dos subterrâneos, cantaremos o medo,

que estereliza os abraços."





ele, o Carlos Drummond de Andrade.







Minha alma suspensa sobre o leito, ondula com o vento que vem das janelas. Houve um tempo, quando eu  era criança, talvez por ter crescido entre as sombras das árvores e os bichos da floresta, me dispunha a fugir para mundos aquarelados, carregando nas mãos uma boneca de pano que cochichava comigo. Encontrávamos um jeito de enfronhar o corpo em cobertores de algodão, à espera de algum milagre que nos abraçasse com força. Sempre que a noite caía, achávamos que era por maldição  Afastávamos as cortinas do quarto para deixar entrar a luz da lua, temendo que madrugada nos escurecesse a vista e a claridade não nos alcançasse na manhã seguinte. Passamos sete anos chamuscadas de vida e luz. Até que um dia, o medo estacou no portão. Um mar de aves prateadas tomou conta de todo o quintal e, sem que eu visse, levaram minha boneca de pano e desfiaram-na com os seus bicos ponteagudos. O oceno de prata. Vaporoso como uma nuvem betuminosa de alcatrão. Meu olhar se perdeu naquela imensidão. E assustada, me enrolei num novelo de lã e fechei as janelas da imaginação. Nunca tive coragem de contar ao meu pai, nem ao meu irmão. Mas aquelas aves prateadas pousaram em mim e não saíram até hoje.




Pipa.

25 comentários:

Annanda Galvão disse...

Se elas ficaram em você, aposto que pegou carona e saiu voando por aí...
Às vezes até as pipas precisam de asas...
Lindo como de costume!!!
Mts beijos,
Annanda.

so sad disse...

quando largamos as bonecas de pano, o mundo de fantasia tem outro lado...
beijo!

Sara disse...

Uma Pipa que voa tão alto, que nos faz embarcar nas palavras, deve ter as vezes medo mas nunca deve fazer dele assíduo companheiro, isso tenho certeza que não.
Bjks.

Franck disse...

Que antes que anoiteça, ou antes que amanheça, as aves prateadas fiquem, leves, como uma pipa colorida! Bj*

Malu disse...

Lindo seu Blog , Pipa !

E voemos ...
Bjo.

Karla Thayse disse...

Sempre me encanto por aqui...
Tenha uma semana iluminada,
Beijo

Roberta Mendes disse...

Seu espantalho é pouso certo para a inquietação do meu voo. Nos demos a mão no espanto. As asas prateadas dos teus medos refletem fantasmas meus, linhas de descoser mistérios e romper arremates. Os olhos da boneca caíram no quintal e brotaram árvores medrosas que não ousavam ultrapassar o muro.

Alvaro Vianna disse...

Parabéns, linda, por ultrapassar a marca dos 300.

z i r i s disse...

Não são apenas os ossos que reclamam os encompridamentos do viver não é mesmo Pipa?



Te abraço forte.


Me emocionou como nunca...

Alvaro Vianna disse...

Lembrei-me de "Hoje é dia de Maria", não me sei exatamente porquê. Mas ali era uma fábula infantil. Aqui há uma dor que alcança o mundo adulto.
Como se dentro da jibóia houvesse algo terrível, que não um dócil elefante.

Beijo para a Pipa Pequena Príncipa. A que nunca desiste de uma pergunta.

Déborah Simões disse...

Lindo, lindo....
E vamos voar bem alto..
Bjok, Flor...

Ana Luz disse...

Muito gostoso ser levada pelo vento e aterrissar em detalhes da infância. Sempre tem algo que vc escreve que faz a gente se enxergar nas suas palavras.
Lindo texto, Pipa... Sei que a gente se viu no ar.
Beijos de LUZ

Fernanda Deunizio disse...

Aposto que voou longe com as aves prateadas. Quem me dera poder ter asas para decolar e voar por aí.


E o medo, fica onde ? Aqui aí dentro ?

Sempre por aqui, F.

Pérola Anjos disse...

Os medos fazem parte de nós, mas talvez, se a gente tentar cortar as suas asas ou, quem sabe, pintar de outras cores, ou ainda, fazer uma careta pra ele mais feia do que ele mesmo. Talvez o seu voo fique baixo demais para nos alcançar. Apenas talvez...

Só sei que tu escreves lindamente! Com ou sem medo, com ou sem o coração ferido, com ou sem.

Beijos!

Thaís Duarte disse...

talvez pudesse pintar as asas das aves, transformá-las e conseguirás, quem sabe, voar com elas.
beijão querida!

Rita disse...

Incrível seu blog, voltarei.

Nane Martins disse...

Pipa,

vamos encompridar os laços e cortar mais panos. Vamos fazer mais bonecas. E que venham as aves, inclusive os abutres!

kellymendes' disse...

adoro teu blog. te seguindo

Ju Fuzetto disse...

Doce...

E vamos voar bem alto, beijo linda Pipa!!!

onzepalavras.com disse...

Aquelas aves prateadas nos bicam por dentro, e cuspimos letra a letra suas asas impregnadas e contidas de medo. E é assim que nos vemos no ar.

dansesurlamerde disse...

tem tanta coisa ruim que gruda, né.

beijo.

Keli Wolinger disse...

Pipa!

Te encontrei pelo blog da Prsicila Mar Íntimo, e ao chegar por aqui senti minha alma desprender-se. Para voar nos mais ínfimos e longínquios lugares em que o amor habita.

Parabéns!

Bjos com sabor da lua,

Keli

http://anacronica-keli.blogspot.com/

Talita disse...

Que delícia de blog...
beijos, bom final de semana..

Talita

tatapalavrasaovento.blogspot.com

Poliana Fonteles disse...

Oi pipa! Sobre seu comentário. Bem, eu não escrevo sobre mim. Escrevo sobre os outros, suas ambições, desejos, malícias, sobre dor, sobre amor, livros e o mundo, Quase nunca sobre mim... Aliás estou vivendo um dos momentos mais feliz de minha vida.

Beijos Pipa. Adorei o abraço com carinho. Retribuo com vontade. Rs. Se cuide.

Jr disse...

Foi bem cedo quando me levaram um treco qualquer de inocência. Fica faltando um pedaço para sempre