11.19.2009

Hoje não

Novembro nunca me favorece. Neste resto desalinhado de uma manhã sem sol. Meu céu se cobre com nuvens. É que amanheceu frio aqui dentro. Um dia quero brincar com as crianças. Mas por enquanto não dá. Estou de posse de um segredo. E não posso sair de casa. Minha caneta vermelha está apessoada hoje. Temo pelo seu peso. Tem uma coisa feia assim querendo me sujar por dentro. Numa plataforma de sons, alguns acordes da música que toca bastam para me comover. Uma névoa evanescente me tira a visão do infinito sem instituir qualquer nova moral. Ainda estou limpa. Mas um medo alegórico me consome as forças. Ele tem mãos cortadas e a cara pintada. Tem coisas que jamais sairão do coração. Não importa o que se faça. É que desaprendi um tanto da vida. Não estou pronta pra saber a verdade. Inclino-me de forma cediça. Me cumprimenta o passado. Evito encontrá-lo. Olhos no chão. Fujo pela porta de trás. Todo o resto é parede.
Pipa.

5 comentários:

renata disse...

espanta o frio, pipa. pega uma cadência de agoras e faz presente.

beijos!

Cris disse...

Novembro me favorecia. Hoje favorece mais não. Mas eu sonho.

Te abraço forte.

.

Anônimo disse...

Lindo

Lindo

Lindo


Beijo Lu

Anônimo disse...

"É que desaprendi um tanto da vida. Não estou preparada para saber a verdade." É Pipa..... quanto mais eu vivo, mais eu desaprendo da vida!Acho que é porque quando se diz "aprendi" o medo de cometer um erro por aquilo que já se conhece é maior.... quando se desaprende, agente se permite a errar sem tanta cobrança.... E é errando que se aprende. Nunca estou preparada para ouvir a verdade....porque na maioria das vezes doi... é tão melhor viver sonhando, do que encarar a verdade! E assim continuamos desaprendendo e sonhando...

Anônimo disse...

É fácil fugir pelas portas do fundo né?

Aí vai um conselho: ENFRENTA!

Lindo demais!!! Cada um melhor que o outro!


Lindomar