10.18.2017

IDENTITÀ

Arte: Svanen, Hilma af klint, 1914.


 A vida ficou complexa demais. É como aqueles vídeos que mostram o céu primeiro e vão afastando, afastando, afastando até mostrar a galáxia inteira. De acordo comigo mesmo, está aí uma coisa que não sei se serei um dia de novo em relação ao amor: intenso. A gente não foi preparado para uma mudança comportamental tão rápida. O bicho não acompanha o homem tecnológico.
Se o amor fosse o céu, teria a real proporção dele [?!]

esforço-me por encontrar uma fórmula de: 
despertar que não seja adormecendo; 
levantar que não seja caindo; aproximar que não seja de distanciando; ampliar que não seja reduzindo; acertar que não seja errando; encorajar que não seja acovardando; tentar que não seja desistindo; começar que não seja terminando;  lutar que não seja fugindo;  chegar que não seja partindo; conter que não seja excedendo; conquistar que não seja invadindo; edificar que não seja destruindo; consertar que não seja quebrando; possibilitar que não seja abortando; acreditar que não seja duvidando; esclarecer que não seja confundindo; conhecer que não seja experimentando; confiar que não seja suspeitando; importar que não seja desprezando; aprender que não seja emburrecendo; escutar que não seja ignorando; responder que não seja perguntando; concordar que não seja questionando; recordar que não seja esquecendo; apressar que não seja atrasando; humanizar que não seja barbarizando; organizar que não seja bagunçando; mobilizar que não seja paralisando; incluir que não seja excluindo; trabalhar que não seja descansando; particularizar que não seja generalizando; educar que não seja brutalizando; transmitir que não seja contagiando; respeitar que não seja imbecilizando; conscientizar que não seja adestrando; simplificar que não seja complicando; substituir que não seja mantendo; equilibrar que não seja desestabilizando; igualar que não seja humilhando; objetivar que não seja subjetivando; diferenciar que não seja assemelhando; pluralizar que não seja padronizando; orientar que não seja desnorteando; omitir que não seja enganando; entusiasmar que não seja entediando; amparar que não seja prejudicando; potencializar que não seja extenuando; conduzir que não seja manipulando; identificar que não seja etiquetando; valorizar que não seja negociando; apropriar que não seja confiscando; economizar que não seja esbanjando; competir que não seja derrotando; ganhar que não seja trapaceando; conciliar que não seja rivalizando; progredir que não seja estagnando; elevar que não seja  diminuindo; celebrar que não seja endeusando; inventar que não seja imitando; seguir que não seja perseguindo; julgar que não seja injustiçando; obedecer que não seja transgredindo; pacificar que não seja revolucionando;
acelerar que não seja pausando
ver que não seja desvendo; surpreender que não seja aterrorizando; pontificar que não seja emparedando; requintar que não seja vulgarizando; permitir que não seja forçando; acariciar que não seja ferindo;  sonhar que não seja fantasiando; imaginar que não seja delirando; escrever que não seja apagando; iluminar que que não seja obscurecendo, pedir que não seja implorando; sorrir que não seja chorando;  abraçar que não seja apertando; beijar que não seja mordendo; abrir que não seja abotoando; dançar que não seja requebrando; florir que não seja despetalando; continuar que não seja desertando; respirar que não seja sufocando; sentir que não seja anestesiando; aliviar que não seja intensificando; pertencer que não seja dominando; unir que não seja separando; dizer que não seja calando; imortalizar que não seja desenraizando; revelar que não seja ocultando
amar que seja amando 
ser outro nos outros que já somos

Lídia Martins

3 comentários:

Vanessa Whitin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Olá, Lídia. Fiz como você pediu, que não fosse ordenando: ouvir ao som de James Horner.
Aliás, é a terceira vez que releio.
Tão antagônico e ainda tão compatível. Uma sopa de verbos e atitudes. Repelir e atrair, como átomos.
Somos uma grande mistura de tudo. Crescemos e parece que sempre continuaremos inacabados.
Eu poderia ficar a noite toda comentando nesse quadradinho de "faça um comentário"... rs.

PS.: comungo das rachaduras, tantas...
Um beijo,
Vanessa
aquariodecavalosmarinhos.wordpress.com

Anônimo disse...

Alguns meses atrás, fizeram 6 anos desde minha última visita á você, eu não sei precisar exatamente quando decidi plagiar você em um dos textos que eu escrevi, mas eu o fiz e você leu, leu e sucinta mostrou que sabia, eu senti vergonha.
Talvez naquele tempo, eu não sei, não tenha lhe pedido desculpas,peço hoje por achar que é necessário.
Eu te agradeço por salvar minha alma, me encontro nas leituras que faço de você.
Grande bjo e perdoe.