12.16.2010

Sonhei que éramos amigos




Imagem: Deviantar't



Vejo que as mensagens nas garrafas que joguei ao mar não encontraram o menino. O destino faz isso. Às vezes nos manda para ilhas muito longínquas, separados, para que nos esqueçamos quem fomos e o que poderíamos ter sido. Talvez o refluxo das ondas as tenha levado para o fundo, onde algum tubarão martelo esteja tentando quebrá-las para ver o que há dentro. Ou talvez elas tenham se arrebentado nas pontas das pedras e seus cacos rebrilhem em alguma passarela aberta entre o céu e o mar.  Estou muito cansada. Corri até onde o oceano começa e a terra acaba. E quando parei, o tempo transformou tudo em areia e a água apagou as pegadas dos que me eram caros. Exceto por mim, ninguém reparou nisso que chamam de  destino. E quanto às garrafas, bem, eram apenas garrafas. E as memórias mergulharam com elas para devolver o que eu nunca soube dar. Talvez o que eu pensava ter sentido, nem esteja mais lá. Águas passadas. E a felicidade nada tem a ver com isso. Se olhar em volta, há poucas razões para sentí-la, mas para buscá-la o número é infinito.


Pipa.

14 comentários:

Carol. disse...

"Talvez o que eu pensava ter sentido, nem esteja mais lá. Águas passadas. E a felicidade nada tem a ver com isso."

A Felicidade pertence particularmente a nós mesmos..e somente a nós mesmos.

Você encontrou um jeito delicado de descrever maturidade.

Abreijos =*

Alvaro Vianna disse...

É tempo de despedida. O fim do ano é sempre o fim de um ciclo. Uma volta ligeiramente elíptica em torno de uma estrela pequena e 150 milhões de quilômetros distante dela.
Um texto lindo para um momento tão singular. No universo, o fim de um ciclo é sempre o início de outro, mesmo que com saltos quânticos.
Em todo caso, não me custa solicitar em nome de todos os seus fãs, uma passeata bloguística para o seu breve retorno e com textos transbordantes de felicidade.

Blogueata para a volta da Pipa:

"A gente podia se ver no ano novo!"

Be Lins disse...

é tão bonito oque você escreve, e por escreveres assim, despertando todo tipo de emoção nas pessoas, nas almas, nos ares, tenho certeza que sempre haverá de haver felicidade disfarçada de toda espécie de vida batendo à sua porta para te inspirar.

toctoctoc,
se você fechar a porta,
a gente bate até você abrir.

com carinho,
Be

Anônimo disse...

Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

II

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão...

III

É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói

Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.

Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

IV

- Tudo passa, tudo passará...

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos.


Como essa música, você é linda.
by Rodrigo

Bianka disse...

Adorei e seguindo

Poliana Fonteles disse...

Não consigo não te ler...
E sabe do que eu mais gosto? desas coisa "sem nome" entre você e o wilson... esses diálogos deveriam ter um blog só para eles...

Te abraço Pipa querida!

Elis Barbosa disse...

Ah, eu bem vi uma garrafa do jeito da sua passando pra lá da praia. De cima da pedra eu soprei um beijo e rezei pra ela chegar direitinho. Só não sabia que ela ia pra onde devia ao invés do destino que tu querias. Pois não há de ser nada, a gente pega aqueles motivos que já são infinitos e multiplica mais!

Tem um mar de gente querendo te abraçar, que nem eu.

Beijos

JasonJr. disse...

:D a onda vai a onda vem mas um dia elas chegam a lgum lugar e pode ter certeza que alguém vai encotra-las! :D

Velho Santiago disse...

Pois eu discordo. Com força do meu coração! Estou certo de que o menino encontrou sua garrafa, menina ansiosa pela vida... ele está é esperando crescer para vir, então, lhe buscar e levar de braços dados para o sempre.

Gislene disse...

Olá!

Lindo seu blog.
Te sigo com alegria!

Beijo.

Keli Wolinger disse...

Que tudo aquilo que me lembro já nem sei, ficou pelo caminho eu me esqueci.

Suas palavras ascenderam algo tão efêmero aqui dentro...

Bjos,

Keli

Anônimo disse...

QUE LINDO TEXTO...
POR ALGUNS SEGUNDOS VI UM PASSAGEM DA MINHA VIDA,TRANSCRITA EM SUAS LINHAS!!!
...É TRISTE SABER Q AS BOAS COISAS DA VIDA E NELAS INCLUO PESSOAS MARCANTES E AMIGOS,E O Q VIVENCIAMOS COM ELAS EM UM DADO MOMENTO E ESPAÇO SEM VAO...
E EU FUI FELIZ ALI...NAQUELE DIA, DIAS,DO MEU JEITO.MAS,ATUALMENTE AOS POUCOS FUI DESCOBRINDO Q "SAO AGUAS PASSADAS" , ACHO Q TODAS AS GARRAFAS NAS QUAIS DEPOSITEI MEUS SENTIMENTOS NO FUNDO DO MAR CHEGARAM E SE QUEBRAM, NUNCA CHENGADO AO SEU DEVIDO DESTINO.

EM FIM, BELO TEXTO PARABÉNS

G MATTOS -MA*

placco araujo disse...

Lindo texto, minha doce Lídia.

Você se antecipou em meses nesta leitura das garrafas, pois as minhas só passei a jogá-las a partir de Abril, e a destinatária pelo menos as recebeu, e vinha todos os dias à praia para vê-las chegar!!!

Um beijo terno...

Edson

placco araujo disse...

Veja como as coisas não acontecem por acaso... Foi justamente esta passagem que vc usou para o seu doce comentário.. E não é que foi justamente esta a primeira página sua que eu visitei?
Beijos e_ternos, sempre!