10.21.2009

Das Fontes

Ela de novo. Queria me ver toda “blue”. Gente isso pega! Eu já tinha terminado de arriscar um inglês, quando levei o copo até a boca para tomar um resto de água. De ontem. Porque até agora não me levantei dessa cadeira. Mas um grilo chegou primeiro. Não faz mal. Ando mesmo parecendo um jardim. Tudo quanto é bicho, de passarinho, borboletas a sapos de desenho animado andam passeando por aqui. Tinha até uma cigarrinha bem bonita sorrindo na comissura. O que? O que você ta dizendo? Entendi nada não. Ah... Não contabilizei uma lagartixa catacega subindo pela parede. Vixi! Ela caiu. Que desastre meu Deus. Aproximei-me para levantá-la. Acho que ela não quis a minha ajuda. Fugiu no mesmo passo. Fui até a horta e vi uma campânula branca de cipó abraçada no meu pé de uva. Aquele -  de Junho. E lá um passarinho que batizei de. Não dá pra falar o nome. Ele pode não gostar. E depois, é o mesmo que tem medo de altura. Segredo é segredo. Peguei um cacho de uva lustroso olhei pro alto e vi um sabiá arriscando umas notas de violão. Sem contar que na capanga tinha um vinho tinto, do porto. Que isso gente! Esse passarinho ta mal intencionado! Só pode! Ele estava arranhando uma canção espanhola “Labios compartidos - Amor mío” pruma tal de Célia que estava apaixonado, quando o interrompi: E esse vinho tinto aí sabiá? Ele disse que o vinho é pra quando a conversa não ta adiantando! Ihh...já vi que não é correspondido... Mesmo assim. Ta sobrando amor aqui gente. Os bichos tão tudo doido. Olha aquele o louva-deus de novo ali. Mas que indecência! Mas isso tudo é culpa da Serena-Cris. Ela me deu água da fonte. E me chamou pra brincar de achar moeda de ouro no fim do arco-íris. Colocou-me no seu balão multicolorido. E me deixou tonta de tanto girar. É como se ela soubesse que eu precisasse dessa tontura pra viver. Estendeu-me tapetes coloridos de versos e prosas que aproximam e encantam. Eu estou tão doce que enchi de formigas. E agora a única coisa que eu faço da vida é viajar nesse balão aí. Tem um reino inteiro aqui dentro gente. Ela já chegou. – Vou lá ver: E ai Pipa? Pra onde a gente vai? Hoje. A gente vai pra festa do céu!
Por Pipa. A que vai pro céu.

3 comentários:

Cris disse...

-)

irmãs de constelação!

só pode!

besos

.

Noemyr disse...

Gostei demais =)
Beijinhoos :*

Anônimo disse...

Que delícia!!!!

Adorei esse!

Bjo

Afonso