Header

Header

8.31.2011

 

Em busca da força,
tornei-me 
rocha.



 Lídia Martins

5 comentários:

Pedra do Sertão disse...

É por isso que eu gosto delas!

Abração,

Araceli

www.pedradosertao.blogspot.com

Mulher Vã disse...

Cadê a prolixidade pulsante, lacrimosa e pungente??

Ahn Va!

Gislãne Gonçalves disse...

Todos nos tornamos rocha e quando não somos rochas somos o lado oposto da dureza, e há os que conseguem o meio-termo.

:)

Luisaeadriano disse...

Olá ....gostamos muito do teu blog , mas não podemos ser rochas ...deixamos de sentir , viver ....
Temos que criar um meio termo .bjs
luisaeadriano

Leo disse...

Mas não há rocha que não possa ser entalhada, que não possa virar rosto, casa ou templo.

Beijos, Pipa!!