11.01.2010

Confissões de uma Desacreditada







Arte: © Agócs Írisz







"Quem eu era antes, eu não posso lembrar."

Estou caindo, estou caindo...

estou caindo 

ao chão.





Long Nigths - Eddie Vedder



Esmaguei meu coração quando decidi que não podia nem queria mais sentir. Não se passava um único dia sem que tivesse o fértil impulso de assassiná-lo. Ouviram o barulho dos pratos? A menina aprendeu rápido. Prefiro terminar meus dias como uma beata entediada a implorar pelo amor de um ogro vil e rancoroso, que me enterre para sempre num cemitério de mamadeiras e caçarolas até que eu me transforme numa velha oca de posições antiergonômicas, de tanto desempenhar movimentos repetitivos. A razão é o maior escudo que se pode oferecer a uma pessoa sem braços. Queria arrancar deste papel qualquer história que não começasse e terminasse num cemitério. Mas não tenho talento para mentiras. A única verdade é que estou cercada por um exército de fantasmas burocráticos que não fazem outra coisa a não ser confabular ideologias acima de qualquer limitação postal com espíritos e canetas possuídas por temer que suas vaidades estejam sendo espiaçadas. Para um meio entendedor um pingo é um pingo. No geral de leite, café ou água. Longe de mim desonrar o livro sagrado, mas é impossível amar a Deus vivendo com o Diabo. A vida não podia ter um humor tão perverso a ponto de ter me levado até o bom senso. Eu poderia dizer que é o coração. Mas o que está matando é o silêncio. De tanto me calar as palavras acabaram morrendo em meus lábios até não restar mais nenhum fio de voz para contar o que aconteceu. Nada alimenta mais a solidão que o esquecimento. Lições emocionais? Não. Ensinam que os seres humanos aprendem a amar com a mesma intensidade que aprendem a odiar. Sou cética. E há um valor em toda ceticidade. Todo cético pode cometer o pecado de não acreditar em coisa alguma.  Fora do recinto de sanatório, todos parecem normais. Hoje estou ensandecida e entro para vida com uma arma apontada para o alto. Isso bastaria. Bastaria para que eu detonasse o gatilho e fizesse voar a tiros o meu passado, só para ganhar um perdão que era eu quem deveria ter dado. A paixão é uma veste corroída pelas traças, trabalhando arduamente na edificação de furos. Curva-te: que te mostro onde está o buraco.




À todos, um feliz dia de Finados.




Pipa.

31 comentários:

Mulher Vã disse...

She's just a girl...


Rá!

Ahn voce não passa duma Eddie Vedder de saias!

Claro porque os dois tem o mesmo chororô caracteristico. Ele com a voz sensual e letras profundas. Voce com o notebook no colo entre paredes acolchoadas transformando agruras em poesia, com tanto talento que fica até irreconhecivel.
Mas pra quem sabe ler entrelinhas, um pingo é tempestade! hehe
Fora do sanatorio só tem sãos, mas de perto ninguem é normal, esqueceu?
Então detona esse gatilho, porra! E ve se não abaixa pra pegar o sabonete senão te mostrarão direitinho onde esta o buraco! Fikdik!


Ahn. Beijo!

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Deus como você é baixa.


Devia parar de sair com estes playboys da favela e se libertar dessa condição de promiscuidade. Não é só com o seu corpo, eles estão arrebentando principalmente com a sua língua. Se continuar a agir assim, dentro em breve ela irá apodrecer e cair sem deixar eco ou reflexo algum, portanto, sugiro cuidado.


Talvez se me trouxesse um conto da carochinha consegueria metade do meu entusiamo.



Meu sabonete é líquido. E fica numa grade de metal trancado com pelo menos seis cadeados em circunstâncias absolutamente miseráveis e tão longe dos vidros quanto possível.


Da próxima vez sente-se na cadeira da frente. Assim terá uma boa visão do espetáculo.



Eddie Vedder de saias.
Este foi um elogio que nunca me fizeram. Por sinal, muito apropriado.


Um abraço.
Mais cínico que feliz.

Rodolpho Padovani disse...

Acredito que quando a gente deixa de querer sentir e/ou viver a vida, ainda que mergulhada em ceticismos desnecessários, não há mais pelo o que viver.
Até mesmo um desacreditado possuidor de fé pode encontrar um caminho que o leve para algum lugar, basta querer.

Bjs =)

Eduarda disse...

Pipa,

Encontrei aqui um moço de emoções. Primeiro pelo nome, lembrando uma canção de Buarque..depois Eddie vedder e a seguir um texto sobre o desãnimo que cada vez mais toma conta do ser humano.

fico fã.

bj

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Eduarda, querida.


"Encontrei aqui um "moço" de emoções."



Minha mãe quando olha pra mim balança a cabeça e diz:
Queria ter um "FILHO" assim.


Será que não pareço feminina?
Oh céus, meus piores temores se realizaram, estão achando que a Pipa tem saco.rs.


Eu sei que meus textos já não tem a puerilidade da alma feminina. E no geral vivo em estado ignorado. Bom, não vou me importar com a embalagem, contando que seja do seu agrado.


Bem vinda aos ares!

Mademoiselle disse...

Após muito tempo, estou aqui novamente para apreciar mais um dos seus lindos escritos.
Tudo o que posso dizer é que entendo o motivo, mas não partilho dos mesmos sentimentos que formam a reação. Sou daquelas idiotas que sofrem agora, prometem nunca mais vai acontecer, e, meses depois, esta na mesma situação por outro motivo.
Bom, boa sorte a nós duas, onde quer que nossas concepções nos levem.

Bjoo querida Pipa.
Saudades.

Mulher Vã disse...

Querido Eddie de carcinha...

Eu mudaria para: "desacreditada da porra!" - para que o mundo saiba que no quesito confiança, os homens não valem porra nenhuma!

N.Termos
Peço Deferimento.


Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Vã querida,


Não me diga que pretende largar a advocacia e bancar a conselheira das mulheres perdidamente apaixonadas? Esqueça! Você não tem lábia.


Eu não devia parar de comer só para responder às suas preciosidades poéticas. Embora quase sempre me faça perder o apetite. Um bom anfitrião nunca deixa de oferecer um bocado, ainda que seja apenas uma sopa de pedras que ele tenha no prato.


Então querida,

Aceita um confit de pato?


Gostei da expressão de solenidade.
Soube do incêndio de ontem à noite? Deixei um morto e dois feridos. Consegui fugir a tempo. Estava naquele Rolls-Royce. Os policiais não me alançaram. Motivo do Crime? O de sempre: os miseráveis e desprezíveis sentimentos de ciúme. Ainda bem que são justificados.


Te abraço com horror.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Mademoiselle,


Perdoe-me por abrir a torneira do ceticismo, mas preciso deixar que esta sujeira acumulada escorra pelo ralo. Sinto vergonha dessa raiva e desses textos envenenados, sobretudo, pela desesperança que propagam. Perdoe a pobreza de espírito. Mas é o único prato que tenho degustado.



Te abraço com respeito.

Roberta Mendes disse...

Ouvi no rádio a repórter da BandNews dizendo assim: no feriado de amanhã é esperado intenso movimentos nos "cemitérios de finados". Imediatamente, me pus a pensar nos outros cemitérios que devem haver: O dos que se enterram vivos sob o cascalho dos desenganos? O dos sentimentos que maltratam mas não morrem? Haverá também cemitérios para as coisas imorredouras? Para estes, no entanto, não se aguardam visitas. Vagaremos solitários entre as lápides, com as datas insuportavelmente em aberto.

Ah, Pipa querida, vou pegar uma flor deste mausoléu e colocar entre os dentes. Vou improvisar um tango sobre o húmus, só para fazer você rir da minha canastrice, como a caveira do ser ou não ser.

A Mina do cara! disse...

gostei!

Talvez não tenha tantas palavras para falar sobre seu texto...

Ou talvez falar mais que o texto fique chato.

O importante é que é a segunda ou terceira vez que venho aqui e gosto do que leio.

um beijo

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Roberta querida,


Algo me diz que você é um anjo enviado dos céus com a missão precípua de libertar meus pensamentos da categoria das porcarias. Pois saiba que vou fazer de tudo para que não consiga. Como um trem em fuga, vou deslizar pela plataforma antes que consiga realizar o seu intento e me transforme numa cristã de fé, que, arrependida, caiu de joelhos na igreja e foi libertada do caos e desordem que governam sua vida. Devia dançar com essas palavras num lugar que não desse medo. Afastei a tampa do ataúde. Mas foi só pra ver se estava chovendo. rs


Te abraço com desprezo.
Não quero que perceba que estou cedendo.rs

Be Lins disse...

Ler você é um desafio,
e , muitas vezes, faz-me lembrar promissórias que assinei sem ler, e que estão á espera do acerto.

Abraços deveriam ter valor de moeda.

Vim olhar-te e agora me vou.

Be

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Bê querida,

Gostei do tom contábil.

Tudo que está relacionado à desgraças, sexo ou dinheiro tem um termo mais ou menos indefinível. Por alguma razão, não confio nesses números. Mas Freud já explicou que isso é caso para psicanálise. Vamos deixar que os representantes dos oprimidos façam o serviço sujo. Acharão algum dia a cura para dedos dormentes? Um grande sonho, não há dúvida. Ainda que limitado pelos nossos aforismos.


Te abraço com filtro. Deixemos escoar a descrença para ver se sai algo de limpo.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Ailma querida,

Estou acostumada a ser tratada com indiferença. É uma das vantagens do ofício. rs. Lamento que tenha me pegado nua e pendurada num lustre com fios descascados, bancando o Tarzam com psicologia de gavião. Lembra que ele chutou a Jane por acreditar que estariam melhor comos primos?


Cretino!


Te abraço com saudade.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Rodolpho,

Sei que deve estar desapontadíssimo com o comportamento da Pipa, mas isso tudo é só um cutuco estúpido, pra ver se sensibilizo a providência divina.


Já viu algum santo ganhar perdão de pecado? Eu nunca.


Te abraço com simpatia.

WILSON disse...

Um final bastante apropriado.


Sabe Lídia,

Você hoje me deixou morto.
De rir.

Posso lhe servir um pouquinho de Rum? É para ajudar a descer estas besteiras que você escreve.





Wilson, de amigo, para total inimigo. rrsrsrsrsr.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Wilson:

Posso cobrir a tampa do caixão para que sua sinceridade e honestidade recebam os adubos da terra?



Ass.: A Fundamentalista Islâmica.

Frido disse...

"A paixão é uma veste corroída pelas traças, trabalhando arduamente na edificação de furos."
Que perfeito. Simplesmente... adorei!

Anônimo disse...

Pipa minha linda isso é pra você


"Bem vindos, bem vindos aqui, o trem já vai partir
Desarmem suas tendas temos muito a descobrir
Não há um lugar no mundo onde não podemos ir

Bem vindos, bem vindos aqui, o trem já vai partir
Peguem suas máscaras nós vamos por aí
Mostrar como somos comuns e como podemos nos divertir

Ah... ah ah ah ah ah

Não vamos ter medo só porque podemos pintar o rosto

Esse mundo vai nos ver brincar
Esse mundo vai nos ver sorrir
Esse mundo vai nos ver cantar
Esse mundo vai ouvir dizer

Bem vindos, bem vindos aqui yeah yeah yeah yeah
Esqueçam suas mágoas tudo o que não vai servir
Não importa se somos poucos
E não precisamos mentir não

Esse mundo vai nos ver brincar
Esse mundo vai nos ver sorrir
Esse mundo vai nos ver cantar
Esse mundo vai ouvir dizer
Esse mundo vai nos ver brincar
Esse mundo vai nos ver sorrir
Esse mundo vai nos ver cantar
Esse mundo,esse mundo.


Vange Leonel

Escuta com carinho, isso é tudo que nos separa desse horrível silêncio. Um beijo encantado do Rodrigo.

Fé Fraga disse...

Pipa,
Vc escreve maravilhosamente bem!
Seu blog é um verdadeiro encanto.
Adoro me deleitar em seu mundo das palavras, dos sentimentos.

Ah, posso se permites copiar um texto seu e postá-lo em meu blog? achei magnífico.

"Que seja doce". (C.F)

Um beijo,
Fé Fraga.
http://mefaltaumpedacoteu.blogspot.com

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Sim querida

As palavras tem asas.
Deixa voar.



Beijos

Mademoiselle disse...

Ora ora minha querida, não precisa se desculpar, entendo que às vezes temos que dar vazão a tudo isso. Faz mal guardar sujeira no coração. Então continue sua limpeza, e, quando estiver pronta, tudo voltará à calmaria normal. ^.^
Fica na Paz.

Velho Santiago disse...

hunn... café?

César disse...

oi
ogros só tem um olho.
fure-o, e faça-o lavar toda a louça,
e diga q se nao o fizer, nao ganhará papinha na boca
rsssss


tu escreves muito bem. parabéns.
abraço

Winny Trindade disse...

Nunca concordei tanto com você, doce Pipa.

Abraço meu.

Wolber Campos disse...

Pipa! Tudo bem?

Todos temos nossos momentos de ceticismo. E - já te disso isso em textos anteriores - você tem a virtude de transformar momentos tristes em poesia boa, gostosa de se ler, temperada pelas formas e cores agradáveis de seu blog.

Um banquete de sensações, onde consegue, com ingredientes indigestos, fazer um prato fino, saboroso e saudável.

Parabéns!

Ju Fuzetto disse...

É de fechar os olhos, este buraco que parece não ter fim. Respirar fica comodo, quando não podemos mais voar.

Eu sempre deixo que as lágrimas falem por mim

beijo linda Pipa

Leo disse...

Lembrei de Renato cantando: "Se a paixão fosse realmente um bálsamo, o mundo não pareceria tão equivocado."

Não remende a veste, deixe a traça corroer todinha e quando morrerem as traças, invente novas vestes, mais bonitas.

eu conheço um bom alfaite, se quiser te dou o endereço!

Beijos e abraço bom.

Mulher Vã disse...

Hahahahaha

Malagradecida!

Te abraço com estupor! =P

Pollycléssio Mota Sá disse...

Conheço um cemitério cujo nome é "Deus Quer". Parece bem criativo já que somos seres para a morte. Mas sempre nos referimos à morte como algo ruim, nos afasta da existência. Mas, Deus quer? Não acredito que ele queira ver algum de seus filhos sofrendo... Tanto é que ele promete vida eterna, cabe a nós decidirmos que eternidade queremos...
bjao Polícleto