10.26.2010

Temo os caminhos








 Arte: © Agócs Írisz







"Temo, Lídia, o destino. Nada é certo.

 Em qualquer hora pode

 suceder-nos  que

 tudo mude.
 
 
 
 
 

Fernando Pessoa.
 
 
 
 
 
 
   
 
Há quem prefira acreditar que é o caminho que escolhe a pessoa. Obriguei-me a sair às ruas e me afastar dessa escrivaninha, de modo que pudesse dar oportunidade para que o meu me encontrasse. Se alguém pretende ser descoberto, ao menos tem que andar na trilha das opções, ou limitaria as possibilidades de acordo com as expectativas. À medida que eu caminhava, sentia que a coragem me abandonava e o medo me invadia. E à semelhança de meus passos, o pensamento recuava, deixando para trás um rastro glacial de covardia.  O difícil não era admitir que havia perdido, mas sobretudo, que havia desistido.  Senti o vento acariciar minhas feridas, enquanto o véu da consciência se abria para enfrentar o desconhecido. Caminhei como uma dama enlutada até me confundir com uma sombra a mais na neblina. À certa altura, lembro-me de ter fechado os olhos e não os abri até ter certeza de que estava sozinha. Pensei no destino e sorri. Quis acreditar que aquilo era uma questão de tempo, e que se eu não apertasse tanto o passo, possivelmente ele me alcançaria. Tenho me arriscado cada vez menos, com o receio científico de quem espera do outro, não mais que a ironia ou a agressão escondida. Temo os caminhos. Mas não é fugindo que vou passar minha vida.





Pipa.

18 comentários:

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Muito honestamente, não pensei neste poema de Ricardo Reis, "Odes" para confeccionar este texto, um texto que sofreu tantos cortes quanto eu. Todavia, o cito para evitar acusações de plágio. Muito embora, já tenham levado tudo o que era meu. Algumas cópias ficaram tão perfeitas, que fiquei em dúvida se não era eu.


Minhas palavras tem asas. Deixo voar.




Eu vos abraço com respeito.

Poliana Fonteles disse...

Suas Palavras São como mágica querida Pipa... Penetram no inconciente, e vagam por lá horas a fio, até encontrem um momento para desaguar...

È sempre bom estar aqui...

Abraço enorme de grande....

WILSON disse...

Por aqui nada se perde. Nem mesmo o respeito.



Talvez eu entenda. Referes aqui o fato de ser assaltado por um medo de quem não decidiu pela coragem de ir nem de ficar. Não é de se estranhar que a gente encolha no meio do caminho. A primeira coisa a se fazer é ter certeza de que precisa ir em frente.


Não seja estraga prazeres. Faça o que o seu coração está pedindo.


Não quero que caminhe com o medo do que poderia ter sido.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Seguir o coração?


Dê meia volta, Wilson.


Aqui é proibido cuspir e dizer palavrões.


rs.

WILSON disse...

Pipa, não faz isso.


Imagine a vida que Jesus poderia ter levado se tivesse aceitado a oferta do diabo?



Uiiiiii rsrsrssrs

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Wilson, seu canalha pagão, rs

a) Pare de desonrar as escrituras sagradas com suas versões anti-bíblicas;
b) Pare de me comparar com uma dessas mulheres de fundamentalistas islâmicos;
c) Pare de achar que é médium umbandista e fazer uso dessas faculdades imperceptivas;
d) Trate de desenvolver a gratidão por aqueles que respeitam as nádegas alheias.




Eu devia ter me acautelado.
Mesmo que isso significasse matar monstros da minha própria criação.


Sou pacífica, não?



Beijo de língua com sabor de veneno.

WILSON disse...

Plágio, por que a advertência?

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Porque as entrelinhas dos meus textos foram feitas por algum demoniozinho que mora no fundo de uma garrafa.(não espalha). E não quero ter que brigar em juízo com uma entidade sado masoquista sobre a legitimidade dos meus escritos.


Wilson, diga-me:
Acharão algum dia a cura para dedos dormentes?

"Dios lhe guarde Chico."

WILSON disse...

Pipa, diga-me você

Acharão algum dia a chave para soltar o cabresto de uma égua aprisionada?

Thammy disse...

Querida Pipa, suas palavras sempre tão doces, mesmo com tanta verdade. Passear e flutuar por aqui é tão bom. Um dia espero conseguir seus conselhos com maestria infinita, e ir com passos lentos e leves, pulando em nuvens para o que me espera.
Um beijo mágico em cor, para você.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Oh, céus, Wilson.
Você também enlouqueceu.
Dá pra ver que você está péssimo!


Vamos aproveitar este minuto de trégua antes de voltarmos ao ataque, para comunicar seu afastamento do meu blog. Já vi que está com sérios problemas mentais e vou te indicar o sanatório que frequento para que possam tratá-lo. Os meus piores temores se realizaram. Minha escrivaninha acabou fritanto seu cérebro.Se conseguir sair vivo de lá, me encontre no asilo da Santa-Fé que perdi. Não custa nada visitar esta velhinha bondosa.



"Dios lhe guarde Chico." rs.

Be Lins disse...

Pipa,
seus vôos são tão especialmente seus. Você e plágio são duas coisas incompátiveis, simplesmente porque você é intensa demais, você já é referência demasiadamente imensa para caber alguma comparação. Exceto, claro, no que se refere a admiração, associação. Já te disse algumas vezes que sinto o mesmo impacto nas suas palavras, que as sinto nas palavras de Clarice. Mas aí, é admiração, é colocar no mesmo degrau.

Resumindo,
você não tem que perder tempo com esse tipo de bobagem, simplesmente porque seu talento já está mais que estampado pelos céus azuis desse mundo virtual.Você tem ESTILO e isso é definitivo.E mais.


Beijo
com carinho, respeito e a admiração de sempre.


*

Be Lins disse...

p.s.

não te parece confortável a sensação de que tudo pode mudar?...
Pode ser que mude para melhor. Já pensou?


smac!

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Mudar? Para melhor? Impossível. Tenho a fama inequívoca de colocar tudo a perder. Não posso arriscar minha reputação. rs.



Bê, querida.
Estão esperando que eu melhore. Mas não vou lhes dar esta satisfação. Tenho examinado as escrituras sagradas diariamente, tentando imitar a fé que os grandes anciões bíblicos tinham para com Cristo. Escapar à posição de Chica decente que luta por um noivo que nunca vai aparecer na igreja vai fazer com que a humanidade caia em descrença e passe a vida sem qualquer emoção. Não me reconheceria em nenhuma obra que não tivesse o propósito específico de abrandar o coração do Monstro de Chocolate diante de minhas causas perdidas e fazê-lo voltar atrás totalmente arrependido de sua decisão. Vamos esperar até o fim do ano. Pode ser que ele se decida pela conversão.

Sobre plágio,

Uma passada de minha flanela e estas botinas furadas, essas palavras, por assim dizer, vão ganhar o status de um reluzente par de mocassins italianos. Se eu tivesse metade do talento deste poeta, dedicaria minha vida a escrever versos inéditos com uma caneta de peito estufado feita do osso de um tubarão, dando de comer aos pássaros nos jardins da França. E com esse sorriso galante de quem deixa todos os dentes à mostra, pode estar certa de que eles não me resistiriam.

Portanto, se precisar de engraxate, estou na recepção.


Não foi uma acusação, foi apenas uma insinuação. Mas o suficiente para causar a sensação do ataque de um enxame de abelhas africanas em meu cérebro.


A vida, assim como a escrita, é uma apiário de abelhas Bê. Se for com jeito as abelhas depositarão o mel na colméia para deixar que você se deleite. Se não tiver cuidado ao retirá-lo, elas brotarão por todos os cantos e nos matará por asfixia com o seu ferrão.


Te abraço com ternura Bê.

Mih_ disse...

Oii…
Boa tarde!!!

Vim fazer uma visita…
Ameii o texto! Maravilhoso... palavras doces e delicadas!

♥´¯`*•.¸¸♥ Grande bjo,
uma ótima semana!
Fica com DEUS...

♥_________Mih_ ઇઉ

http://descalcapoesias.blogspot.com/
http://trevisanimichelle.blogspot.com/

Carol Fonseca disse...

Há quem prefira acreditar que é o caminho que escolhe a pessoa. Obriguei-me a sair às ruas e me afastar dessa escrivaninha, de modo que pudesse dar oportunidade para que o meu me encontrasse. Se alguém pretende ser descoberto, ao menos tem que andar na trilha das opções, ou limitaria as possibilidades de acordo com as expectativas.

amei isso dona pipa! e ri dos papos seus com wilson!
beijos.

Thaís Duarte disse...

caminhos podem ser misteriosos. não fuga.
beijo iluminado, querida!

disse...

Pipa, adorei o teu blog!
Ainda mais pq estou justamente na fase de deixar toda a "tralha" pra trás a fim de conseguir seguir em frente sem tornar a pensar no que "não foi".
Beijos e bom domingo!