9.13.2010

A Lenda do Abraço de Urso








Arte: © Agócs Írisz








Apesar da aparência agressiva, Dom Mathos era uma alma pacífica. Muito embora seu aspecto sugerisse a figura de um urso escandinavo taciturno e ameaçador, era dono de um olhar exótico, que penetrava no fundo da alma de suas vítimas para atraí-las para os seus encantos fatais.Todas as mulheres, a começar por mim, o temiam. Ele vivia no ponto mais alto da montanha, contemplando as noites polares forjadas nas gelerias flutuantes e alguns icebergs ocasionais trazidos do norte da ilha no extremo ocidental do mar de Barents na plataforma continental da Noruega. Inquilino devoto das montanhas, passava grande parte do seu tempo vivendo como um beato entediado, devorando aves marinhas distraídas, esperando o aparecimento espetacular da Ursinha da vez. Torturava suas vítimas com toques letais e as hipnotizavam de forma que quando acordassem,  não se lembrariam de mais nada. Examinei o pulso do corpo famélico da última vítima que fizera. Ela gemia e se contorcia no gramado daquela floresta neogótica, que fora sepultada sobre a neblina evanescente, semelhantes as cortinas de névoa formadas sobre o Rio Nilo  no continente africano, quando inaugura o inverno no hemisfério sul. A vitima tremia enevoada de um jeito que não era possível saber se era de medo ou de frio. O fato é que ela estava imobilizada.  Eu o contemplei boquiaberta, lançando-lhe um olhar significativo, muito mais catalogando o meu  excesso de assombro do que a falta de concepções íntimas. Eu o vi fincar os cotovelos sobre a pedra, lançando-me um olhar de sonhador. Sempre depois do ataque, aquele urso sentia a consciência pesada e  um desejo profundo de esquecer o que havia feito. Senti que sua boca se adiantava, mas as palavras se escondiam dele. Os detalhes da lenda, ainda ignoro. Não o conheci o bastante para penetrar os orifícios de sua alma já que ele vivia incrustado num mundo de pedras, à espera de alguém que soprasse as brisas lunares que se alojaram em seu corpo peludo com o tempo. Embora sua máscara de urso induzisse ao contrário, ocorreu-me que aquele indivíduo era infinito, caótico e sobretudo sensível.  E qual não foi minha surpresa - quando eu já ia encerrar o capítulo. Aquele urso se voltou para a minha direção e fez um gesto para que o observasse. Eu o acompanhei por um estreito caminho. Você pode guardar um segredo? - perguntou-me o urso. Neguei em silêncio, mas disse que sim com ar de quem prometia mais entusiasmo que franqueza. Ele havia voltado para buscá-la. Descobri então que era verídica a lenda que rezava sobre o "Abraço do Urso."  Quem sobrevivesse a ele, ganharia o coração do urso para sempre. E aquela menina, embora parecesse frágil a primeira vista, revelou-se destemida. A esta altura, aquele urso já havia se deixado seduzir pelos encantos daquela jovem, cujo cheiro, toque e gosto copiosamente o seguiam. A sedução é uma arma desajustada e dependendo do alvo escolhido, pode ser você o único atingido. E o pior não foi não ter escolha, disse-me o urso. Foi não ter nenhuma vontade de resistir.  Antes de ler o amor em seu rosto, enchi minha caneta de tinta para dialogar com o papel o ordinário e o extraordinário da vida. Quem somos nós afinal? Todo ou parte? - desmascarei sem nenhuma misericórdia.  Embora todos pensassem o contrário, com o seu abraço de urso, ele  aprisionava suas vítimas no único lugar em que não era possível que elas saíssem: Do lado de dentro.





P.S.:  Não me diga que nunca pensou em ser a caça de um urso escandinavo e passar o resto de seus dias em uma floresta neogótica, rs?




Pipa.

26 comentários:

Poliana Fonteles disse...

Os textos são seus Pipa?
Ain! amei tanto tanto!

dansesurlamerde disse...

que lindo.

um doce.

beijo.

WILSON disse...

Você aguça minha curiosidade.

E chega ao ponto de transformar lendas em coisas reais. É como se tivesse o poder da magia.

Vejo que é um capítulo dedicado aos sedutores. E de uma consistência tão real quanto desastrosa. Desastrosa porque é assim que acontece com o universo masculino. A gente fuzila depois descobre que fomos nós os fuzilados.



Gosto quando descobre essas verdades sobre os homens, porque quem sabe textos fabulosos como esse não nos ajudem a não destruir as nossas vidas. Ou melhor, aquelas pessoas que poderiam mudar as nossas vidas.


Saio daqui extasiado.

Já machuquei muita gente com essa ambição ridícula de mostrar que eu era o cara. Grande idiota. E hoje sabe quem me visita?

Ninguém.



Meu coração está pesado.
Mas acho que a paz finalmente foi estabelecida entre nós.

Aquele seu bilhete de papel está aqui. Eu não tive coragem de abrí-lo. E se depender de mim vai ficar no mesmo lugar, exatamente como você havia deixado.


Ler você é isso. Descobrir verdades sobre mim.


Vou quebrar a ponta desse seu lápis-lazúli

Ainda tenho esperança de viver menos entediado!


Wilson, seu amigo, o terceiro homem.

Asas que ultrapassam os domínios do Sol disse...

Como aquece um abraço de um urso. Sabe Pipa, conheci um ser tal qual o urso que contaste. Seu abraço esmagadoramente necessário se tornou em minha vida. Hoje ele foi embora, talvez esteja cansado dos ares de montanha que proporcionei-lhe. Ou talvez eu já não esteja preenchendo o seu vazio e ele precise de muito mais. Mas lembro com folga sua preseça, que nem consigo buscar outro abrigo, posto que ainda me sinto aquecida em seus braços.
sua companheira alada Hilda, Belém

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi amiga Pipa,

Queria desculpar a minha ausência, se bem que quem perde sou Eu com a falta de textos tão doces... Minha amiga estou em processo de monografias e daí já viu né?!
Então passo pra dizer que não esqueci da amiga de palavras e logo;logo me atualizo tá?!

Afinal meu vício é te seguir de perto...

Abraço e beijo do teu amigo
= )

Gabriela Furtado disse...

Acho que os homens são ursos mesmo, né? E algumas mulheres tbm (não sejamos machistas).
adoooreeei, um beijo :*

Vozes de Minha Alma disse...

Pipa, essa lenda é deveras parecida com a realidade!
Cuidado, hein? rsrsr
Se o bichinho for gótico então...
Bjs, um abraço.

Noe* disse...

Eu acho que conheço um urso, digo acho pq creio que ele usa disfarce!
Um dia eu descubro ;)

Ta combinado o nosso sorvete!!!!

Bjks, Pipa luz =*

Elen Abreu disse...

Oi boa noite!
Muito interessante e criativo o blog!Estou te seguindo viu?
Q papai do céu te proteja =)


bjão

::::FER:::: disse...

engoli secamente! Nossa que obra prima! amei esse texto me apixonei pela leveza e todas essas palavras diferentes, que nao achamos nos outros blogs, e além de tudo poesia em cada detalhe. parabéns! sobre o urso eu me indentifiquei com um pedacinho "Sempre depois do ataque, aquele urso sentia a consciência pesada e um desejo profundo de esquecer o que havia feito."




:::FER:::

Márcio Vandré disse...

O pior (ou melhor), é que existem abraços que temos a vontade de ficar pela eternidade.
Um beijo, Pipa!

LUZIA disse...

Pipa, adorei o texto, a lenda, que é bem verdadeira, pois existem muitos 'ursos' por aí.

Ah.. adorei a definição feita pra mim :)

Beijos e abraços!!

Raiana Reis disse...

No abraço do urso a menina encontra o seu melhor pedaço... Se é sedução - há no encaixe deste abraço único a desejosa via de mão dupla, na união dos corpos não há vítimas ou frio que os apartem deste aquecimento interno. ;)

Rafaelle Melo. disse...

Vc tem razão, Pipa! Chove mas depois estia...devagar, devagar...

Suas linhas de lenda real me deixaram estagnada...Digo que, hoje, o poder delas foi de tirar o curativo e mostrar os riscos.

Riscos que o urso traz consigo, riscos do olhar exótico, do abraço quente, da vontade de morar em uma floresta neogótica. Risco de se ferir e de ferir o urso. Esses riscos, que nos expomos ao respirar.

É bom vir aqui e poder olhar minha ferida de forma doce. É sempre um prazer te encontrar no ar.

Te abraço com cuidado e gratidão

Denise disse...

Sabe quando a ansiedade se mistura com o medo...e de querer tanto não se quer

entao...
Vim agradecer o carinho
afagos floridos e iluminados (no momento)

De

Juliana Dias disse...

Quero ter a honra de vc participando do meu blog, hein?

beijinhos!

renata carneiro disse...

nú, meu sonho! rs!
beijo!

Gislãne disse...

os 'ursos' estão soltos!!!

kellymendes' disse...

ou um encanto vc :*
obrigada pelo carinho !

z i r i s disse...

Sabia que um urso pode ficar horas estático e com fome, até o momento certo de atacar sua presa?

Acho lisongeiro!!! rs



Presa mais importante essa ora!

bjooooo grande

Alvaro Vianna disse...

Preciso do e-mail desse urso da Ziris. Para umas dicas, sabe?

Beijo pra você e pra ela.

dear sarah disse...

Adorei.
Esse blog realmente é lindo!

ErikaH Azzevedo disse...

As pessoas as vezes nos ferem por não saberem afagar...por ser muito mas facil ferir...as vezes é no ferir que está o pseudo se defender...e ao contrário de , é no afago sincero e verdadeiro que mora o se entregar, e pra se entregar é preciso se deixar indefeso, pq só nos entregamos a quem não vemos qualquer tipo de ameaça.... e é aí que muitas vezes morremos...nem que seja pra nascer novamente....

Esse texto foi dentre os seus o mais mágico que eu já li...um tantão de sensibilidade que levo daqui nem imaginas, eu me acrescento, me torno maior cada vez que te leio....

Deste-me um abraço de urso uma vez, eu cativa de ti fiquei...tu bem sabes.

Meu beijo

Erikah

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Eu ia dizer alguma coisa, mas fiquei muda de espanto.



Na retina avermelhada de meus olhos apenas se podia ler:

En-can-ta-men-to...


Te abraço com amor Erikah

ErikaH Azzevedo disse...

Ô Pipa ... en-ca-ta-men-to deve ser via de mão dupla, foi exatamente isso que em mim dispertaste.

Esse texto é uma precisiodade sim, mas mais preciosa é aquela que teve a sensibilidade de o escrever.

Bjos linda...muitos.

Erikah

Nane Martins disse...

Pipa,

Sempre pensei nisso! queria ser uma caça, não precisava necessariamente ser um urso escandinavo. Podia ser um Lobo Mauuuuuuuuuu!


bjus