Header

Header

9.15.2010

Das Entregas







Arte: © Agócs Írisz





"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências.

Desistir, ainda que não pareça,

foi meu grande gesto

de coragem."




aquela, a  Cáh Morandi.







Constatei com desassossego, que não é só fisicamente, emocionalmente também se envelhece. Acho que chegou a hora de encerrar as minhas buscas. Tenho nas mãos apenas pistas mortas de uma ilha solitária encoberta pelas águas.  Sobrevôo, sobrevôo, sobrevôo. E nada mais me é visível. Não há margens do teu rosto, e teus olhos,  parecem agora estar imergindo. Contei até três e me escondi na estirpe do coqueiro. De um jeito que desse para você me adivinhar. Mas ao abrir os olhos, me deparei apenas com uma pilha de sonhos esquecidos sobre a areia.  Não havia ninguém  para juntar.  Recolhi um por um dos sonhos que tu deixastes, para te ajudar a se desfazer. Eles não vão mais te pesar. Não me aventuro a dar nem mais um passo em sua direção. Tenho pés e dedos esfolados. Não posso arriscar perder o próprio rastro. Meu coração se abre para a sua passagem, agradecendo cada segundo que esteve contigo. Perdoemo-nos. Por tudo o que não foi e poderia ter sido. Desapalpadeemos  as mãos, para que elas flutuem livres sob a carícia do destino. Vamos deixar que as brisas lunares nos soprem, e, serenamente, tire de nossos dedos aquele anel antigo. Te estendo minhas mãos, ainda mornas, para te abençoar e, te ofereço o meu melhor sorriso. Aquele. Que você sempre me arrancava, quando ninguém mais achava que era possível.





P.S.: Está sacramentado. Você pode ficar com tudo: inclusive os meus sonhos.




Te entrego.
Me entregas.




Pipa. A que.


25 comentários:

H. Machado disse...

Ainda nao é a hora.
Prefiro assim.

Paixão disse...

Abençoe e perdoe, mas carregue os sonhos com você, o destino se faz tão quieto, talvez por isso seja tão surpreendente. Acredite!

beijos

WILSON disse...

Que loucura é essa?


Eu não falei sério quando disse que torcia contra o bisão do Monstro de Chocolate.

E se quer minha opnião aquele bisão é um ladrão de coração.


Mas cara, você conduz todos os seus leitores a um labirinto e agora leva todo mundo pro ponto de partida?


E se o Monstro de Chocolate estiver te esperando lá com um sorriso colgate?


Agora desistir?
Está pensando que nós somos o que?


Você não entende nada de Monstros, Pipa.

Mas, se um dia eu ver ele na rua eu vou supapar esse bisão!


Desistir...Que coisa mais broXante!


E essa droga de texto, acabou com a minha noite. Agora sou eu que tou morrendo, de tanto chorar cara!


Não dá pra te ler quando se bebe Montilla.

Essa pinga de pirata, esse Rum dos saqueadores do alto mar!

E agora sou eu que não vejo terra firme!



Adeus!


Wilson, seu amigo, o terceiro homem!

Maria Fernanda Probst disse...

Admiração essa minha de pessoas que sabem quando é a hora d seguir adiante. Bo-ni-to. Triste, até.

Beijo

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Wilson,


Você morrendo?


O que não faz um Rum, não é mesmo. Não é o primeiro comentarista bêbado que vejo por aqui. A hermana Zíris, também anda me sorrindo sob o efeito do Rum...


Deviam tomar cuidado com esses alucinógenos.


Não é só de coragem, eles nos enchem de fogo...


Tomei um porre de desistência.


Adeus Wilson,


Vou ali me matar e já volto.

z i r i s disse...

Não desistimos, concordamos!

::::FER:::: disse...

O que são as memórias depois de tudo isto?

Nathália Thomaz disse...

Que fim. Quem diria que seria assim?

A paz que abençoa, que acabei de remeter-te, chegue ainda hoje pela manhã desarmando seu desassossego.

beijos de chocolate !

Be Lins disse...

A carícia do Destino,
é preciso acreditar que o Destino será generoso.

Ele é, né?
Agradecemos, por isso.

Beijo, PIPA,
sempre estou por aqui,
caso precises.

*

Sil.. disse...

Pipa,

Eu penso que a gente sabe a hora de desistir.
Entregar os pontos, pra que se continue vivendo, aquela vida sem as amarras que levavam a gente pro buraco (Muitas vezes leva).
E antes que a gente se acostume a viver assim, a gente tem que saber a hora de partir.
O que fica na memória, fica.
Tudo fica.
Mas a vida? Essa continua.

Um abraço pra menina pipa.
A que encanta!

Traça aquele sinal da cruz na testa, e segue.

Leo disse...

A gente vê a longa estrada, o destino há de ser generoso e bom, ele vem com um sorriso na testa, então lave o rosto e siga que eu to aqui do lado tecendo novos sonhos!

Abraço apertado, Pipa amada!

Rafaelle Melo. disse...

Sei bem como são os pés esfolados. Coloquei os meus de molho e parei no PC pra te ler. Senti-me acolhida, como sempre. Mas hoje em especial. Esse curioso dom das palavras de serem atemporais e de invadirem as frestras da alama da gente.

Obrigada pela companhia, Pipa!

Te abraço como quem cuida, conhecendo a dor dos teus pés.

Anônimo disse...

"E recomeçar é doloroso. Faz-se necessário investigar novas verdades, adequar novos valores e conceitos. Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida numa só existência"

Denise disse...

Embebedada de desistencia..........ha em mim algo q ainda teima em resistir.

Vir aqui para tomar coragem (rs)
e tomei


Pipa a q encerra de forma lindissima as coisas.

um dia aprendo

meu melhor abraço,cheirando a arrependimento (incrivel como agente se apega a dor )

De

Keli Wolinger disse...

A saudade é o amor que fica.
O doce sabor da lembrança regada ao mel do desapego.
Deixar de lado uma luta por um tempo não significa desistência, e sim que se está renovando as energias para um novo recomeço.

Muita luz e serenidade.

Abraços, Keli

Keli Wolinger disse...

A saudade é o amor que fica.
O doce sabor da lembrança regada ao mel do desapego.
Deixar de lado uma luta por um tempo não significa desistência, e sim que se está renovando as energias para um novo recomeço.

Muita luz e serenidade.

Abraços, Keli

Keli Wolinger disse...

A saudade é o amor que fica.
O doce sabor da lembrança regada ao mel do desapego.
Deixar de lado uma luta por um tempo não significa desistência, e sim que se está renovando as energias para um novo recomeço.

Muita luz e serenidade.

Abraços, Keli

Winny Trindade disse...

Isso é tão eu!!!

Oh, Doce Pipa, como consegues decifrar o que eu sinto nesse exato momento??

Abraço apertado meu.

Isadora disse...

Pipa, minha amiga, você tomou um porre de desistência? Deixo aqui registrado ao desitente e ao que foi desistido que não vou deixar o meu pesar, pois a vida muitas vezes nos leva por caminhos tortuosos, até encontramos a terra batida, o campo florido e as alegrias que teimavam em brincar de esconde-esconde.
Tudo na vida tem um motivo, ainda que no exato instante seja difícil entender.
Parabéns a você, pois eu não deixaria o meu melhor sorriso e ainda carregaria os meus sonhos comigo!
Um beijinho

Luzia Medeiros disse...

Quem pode quererdespedir-se de algo tão doce, tão carinhoso? Como deixar sonhos, e seguir? meu coração se enche de dúvida, já que tenho evitado falar da partida.
Mas o engraçado, é que sempre falo de saudade, mas não admito que perdi, embora não tenha mais.

Coisas do coração, sem razão, mas com tod sentimento!

Bjs,

Denise Portes disse...

Eu gosto muito de passear por aqui, faz tempo que te sigo.
Vai me visitar mais vezes www.odeliriodabruxa.blogspot.com
Beijo
Denise

Thaís Duarte disse...

Isso me lembrou um trecho que eu amo: "Coragem, às vezes, é desapego (...) É aceitar doer inteiro até florir de novo. É abençoar o amor, aquele lá, que a gente não alcança mais."

chêro!

Pâmela Grassi disse...

A entrega, traduzida certas vezes em desistências, é coragem de guardar os sonhos para esvoaçá-los no tempo posterior,

Beijos

Pérola Anjos disse...

Abrir mão é o mesmo que forçar o coração a se despedir. Abrir mão é entregar o jogo, quando percebe-se que o jogo já estava perdido. E dói tanto... Mas, às vezes, dói menos.

Voe. Sobrevoe. Sobreviva. Viva!

Um abraço com cuidado para não te partir de vez!

Poliana Fonteles disse...

Eu novamente Pipa amiga...

Sabe, lendo seus textos eu me pergunto o que há nas entrelinhas...

Abraço!

:D