Header

Header

8.14.2010

Eu vi amor onde não tinha








Arte: © Agócs Írisz





"Ela desatinou, viu: chegar quarta-feira, acabar a brincadeira,

bandeiras se desmanchando,

e ela ainda está

sambando..."





ele, o Chico Buarque.






Parece que o dia de hoje começou há dez anos. Medo de acordar e terem ressuscitado aqueles fantasmas que enterrei com gosto. Centenas de milhares de pessoas sem cor e nem rosto interceptam minha trajetória. Mas nenhum que correspondesse à descrição de “prato branco e raso” do que tem fome de olhar. Este amor tem duzentos anos. Ele tem olhos vermelhos e barba crescida. Às vezes tenho vontade de sair correndo, mas a consciência logo me encontraria e abaixaria as grades, obrigando-me a refazer o caminho de volta. Cada dia que passa, meus olhos estão mais feridos com essa distância. E só prestam atenção no jeito de se desviarem de alguma foice que os rasguem por inteiro. Será que ele foge porque tem medo de não saber o que fazer comigo? Ou tem medo de não saber o que fazer com ele? Eu vou inventar uma agulha de luz para espetar a escuridão. Embora ela torne mais difícil caminhar, eu já atingi o limite das trevas. Suponho, por extrapolação, que eu seja louca. Tenho medo que o anjo da guarda não desça do céu a tempo, e me coloquem numa camisa de força sob os auspícios de um extravagante sanatório, e eu me torne o escândalo predileto dos dissabores da vida. Mas eu vou acordar amanhã, abrir a janela e sol me iluminará me provando o contrário. E vou me acabar de tanto rir. Provavelmente de mim mesma. Não vou mais esvaziar minha alma para alguém que me trata como uma estranha. Como é mesmo que ele era? Estou começando a esquecer?  Como demora morrer os amores em nossos corações. Eu tento. Mas o corpo não aceita mais nada. Embora, aparentemente esteja faminto, não vou estendê-lo sobre a calçada para servir de aperitivo aos vira-latas. Não quero me transformar em miniaturas de palitos ossuários na boca de cães lambancentos. Vou deixar que a chuva caia. E, com o tempo, as águas lavem o sangue. Minha vida é um espetáculo babilônico. É como se tudo o que eu tocasse virasse pedra. Aprecio os abismos emocionais. Quase ninguém chega perto. E minha grande ambição, é soltar as correntes da razão e espiar o que há dentro, ainda que ao final me reste apenas a vertigem da queda. Não me contento com formas. Ou toco no fundo. Ou não toco em nada.





Um abraço ensopado.





Pipa. Agora eu era o herói.

41 comentários:

Serena-Cris disse...

'Ou toco no fundo. Ou não toco em nada.'

Essa é a Pipa que conheço. Navegadora de todos os mares. Profundidade é com ela mesma, o raso nem por brincadeira! É porque ela é toda assim: meio que desmedida e rainha!

toca, Pipa, toca fundo.

te penso sempre!


uma beijoka*

*

Alvaro Vianna disse...

Uma Pipa anfíbia.
Voa e descreve trajetórias em 4 dimensões. Vemos tempos e lugares de sorrisos fáceis e expontâneos. Pipas assim estão em extinção por ação predatória irresponsável.
Mas essa é das brabas. Atingida, mergulha rápida que até se estica. Vai lá embaixo traduzir Guernicas em letras.

Um beijo ecológico.

Gislãne disse...

"Não me contento com formas."
idem...
Blog maravilhoso

Leo disse...

"Não vou mais esvaziar minha alma para alguém que me trata como uma estranha."

Eu já fiz isso e não é nada bom, pega bem rápido essa agulha e luz e dá uma espetada na escuridão, assim como um relâmpago.

Um Abraço quentinho!

Nane Martins disse...

Sabe....vou dizer....nem sei o que dizer. Pipa emocional, Pipa visceral, Pipa Extravagante e atual.
adoro.

bjusssssss

Priscila Rôde disse...

" E minha grande ambição, é soltar as correntes da razão e expiar o que há dentro, ainda que ao final me reste apenas a vertigem da queda. Não me contento com formas. Ou toco no fundo. Ou não toco em nada. "

Pipa, perdoe - me. Mas hoje, sou só silêncios!

Mravilhoso!

jefhcardoso disse...

Arrebentou Pipa! Muito bom! Sanatórios extravagantes são mesmo para aqueles Midas desastrados, que não tocam tornando dourado, mas sim petrificado. (sorrio). A Priscila Rode foi quem falou de você no twitter. Fiquei grato a ela. Abraço!

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Carol Fonseca disse...

me apaixonei pelos textos doces, te sigo !
beijo

Annanda Galvão disse...

Querida Pipa,
Você e seu esforço-que parece natural- em manter-se sã e louca, hoje, falaram pra mim por mim.
O que eu precisavaemeu coração pedia.
Lindo!
E, tudo vale a pena quando a alma é a da gente.
mts beijos!

H. Machado disse...

Tente não contar tanto com o sol.

Thalita Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thalita Santos disse...

'' E vou me acabar de tanto rir. Provavelmente de mim mesma. Não vou mais esvaziar minha alma para alguém que me trata como uma estranha. Como é mesmo que ele era? Estou começando a esquecer? Como demora morrer os amores em nossos corações. Eu tento. Mas o corpo não aceita mais nada. ''

Senti tanta falta de ler esse encanto que mais parece fórmulas mágicas que escreves aqui.Estava precisando mesmo de ler esse texto.Me sinto assim. E como disses: ''Ou toco no fundo. Ou não toco em nada.''

BJ!
To de volta ao blog com post novo

Rafaelle Melo disse...

"Suponho, por extrapolação, que eu seja louca."

Extrapolo e confesso não ter palavras!


Estou ensopada demais.

Beijos, com carinho de uma alma afetuosa.

Carmen, disse...

Será que ele foge porque tem medo de não saber o que fazer comigo? Ou tem medo de não saber o que fazer com ele?'

tão descritivo!

meu abraço com uma pitada de sol.

*seus textos são geniais.

Cacheada disse...

Hey, e quem nunca se sentiu assim?
E cara..
eu costumo ver amor onde não tem direto.
parece até profissão

Ana Luz disse...

É muito bom ler com calma, toda calma, seus textos. Saborear as frases incomuns, ir no fundo dos seus abismos, encontrar meus pedaços em pedaços que são teus.
Guardo muito do que você escreve e levo comigo, junto suas frases a imagens que viram arte e, depois, tudo vira luz. Mais LUZ.
Adoro o brilho que você me traz...

Beijocas de LUZ

J. disse...

Pipa, demoro-me a vir. Mas, sempre que venho, leio tanto o que preciso ouvir. Obrigada, querida. Muito obrigada.

Um beijo.

Juliana. disse...

O sol deve nos aproximar do amor..e como é bom ver e sentir o amor!
Um beijo Pipa
Ju

LUZIA disse...

'Como demora morrer os amores em nossos corações.'

Pipa, seu texto é maravilhoso e de grande verdade... Lindoo!!

Elis Barbosa disse...

Depois você me empresta a agulha?! Ler esse texto depois de um dia nublado de propósito - ele queria me mostrar como eu estava por dentro, o sol apareceu lembrando que hoje vai ser diferente - tem gosto de pão doce!

Adorei!
Beijos,
Elis

Janete Andrade disse...

"E minha grande ambição, é soltar as correntes da razão e espiar o que há dentro, ainda que ao final me reste apenas a vertigem da queda. Não me contento com formas. Ou toco no fundo. Ou não toco em nada." me diga moça e que graça tem se a gente não tocar lá no fundo, não remexer no baú de dentro, não vasculhar a alma nem que seja de vez em quando? mesmo que doa... porque depois a gente junta a poeira joga pra cima e ri do nosso s abismos *--*

Asas que ultrapassam os limites do Sol disse...

Pipa,
teu nome é simples mas não é tão simples o teu desejo, não é mesmo?
"Ou toco no fundo. Ou não toco em nada" ... Será que é buscar demais?
Todos os dias me pergunto e HOJE me encontrei... SIMPLESMENTE Pipa você me conhece eu acho... KKKKk
Brincadeira.
Terminei um namoro de 3 anos e meio, pra mim estavamos a VIDA TODA JUNTOS... Até que há um mês ele olhou pra trás e não quis mais... E o "Você é o meu maior tesouro" ficou CALADO... E eu GRITANDO!
Sabe Pipa, minha cabeça às vezes nem me deixa dormir.
Mas isso passa não é?
E eu mais nada espero...
Um abraço.
Hilda Freitas, Belém

Cáh disse...

Eu tbm não!



Coisa linda de se ver/ler/sentir


Beijos

Ceres disse...

"Speaking words of wisdom, let it be" (:

A vida é muito curta para se andar em circulos.

Meu silêncio toca muitas coisas, e grita e ninguém ouve. Gosto de fazer barulho em silêncio (:

Um beijo sussurado

Amanda Arrais disse...

"Este amor tem duzentos anos."

Acho inacreditável a capacidade de alguns sentimentos, eles nos fazem imaginar há quantas vidas são vividos.


Ou toco no fundo ou não toco em nada é uma filosofia que eu venho adotado. Nada de restos ou superfícies.
Adoro sempre tuas palavras.

*=

Denise disse...

Deve ser medo................só pode.

essa sua sede de infinito............de arder arder arder.............fara com q fique seca mais rapidamente............e possa abrir a janela ensolarada e rir..............rir até perder o folego.

que assim seja

carinho

Crônicas do Cotidiano disse...

E agora menina Pipa!


É hora de encarar os fantasmas... Tens certos amores que pedem estaca no coração. Vampiros vagabundos e arruaceiros que gritam nas esquinas do coração. E desse oco que nada tem... Se vê tanta coisa não é mesmo minha amiga?!

Amiga Pipa... Segue nessa tua aventura de SI MESMo que te sigo no olhar e no coração!

Bjo na tua alma de plumaa!!

Cristiane Melo disse...

saudades de ler as palavras de uma pipa esbelta!
voltei de um longo desapego do mundo virtual e comunicacional.

um sorriso de sol!

Dijah disse...

Um caminhão de obrigada para a Pipa , sempre que tenho algum comentário seu me sinto lisonjeada senhorita Pipa , e Outra tonelada de obrigada por nos deixar ler mais um de seus perfeitos textos , um lindo abraço

Nathália Thomaz disse...

Força, linda Pipa...

beijos

Diego Midlej disse...

Aprecia os abismos...
Lindo saber que sobretudo, prefere o caos a um amor 'bain-marie...'
Beijos

Helen disse...

gostei daqui, visitarei mais vezes!
beijos

Mulher Vã disse...

Oie!

De tanto ouvir falar de voce, tive que vi aqui conferir. =P

Tenho o prazer de te informar que a agulha de luz para fura escuridão ja foi inventada e em fase experimental, logo logo, estará no Mercado Livre à disposição de todos! Legal né, o preço será um pouco salgado já que não se encontra luz purissima de bobeira tao facil assim hoje em dia, mas o melhor de tudo, é que eles vao dividir em varias vezes no cartão de credito. =))

Ó, mas antes de usar a agulha de luz para furar a escuridão, lembre de colocar um equipamento especial, um tapa-ouvidos [porque vai fazer um estrondo daqueles]; luvas de borracha cromada [para não manchar os dedos com o negrume escuriderifero e estragar as unhas]; óculos de proteção [pra que o escuro fosforecente, sim porque é o que sai da bolha tambem, não te ofusque e nem te deixe zarolha]. E pra terminar, uma capa de chuva Puc [porque aquela joça negra vai respingar tudo!]; não esquecendo da bota B&C, cano alto acima do joelho, salto metal 10,7 cm! [pra não sujar os pés e é claro, dar uma glamourizada no visual!

Mas olhe, nunca se esqueça de carregar consigo uma caixa de agulhinhas de luz, po, nunca se sabe quando vai precisar né!!!

ps: cuidado com a pirataria! Podem querer te vender rasgo de luz que desmancha depois de 24 hs, não aceite, é calote!

No mais, foi um prazer estar aqui. Voltarei se assim for do seu agrado.

Beijo!!! =)))

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Isso é o que eu chamaria de uma queda de pressão literária!


Rs........


O prazer foi todo meu, Mulher Vã. Absolutamente sugestivo o nome. Mas não corresponde ao alto teor imaginário de seu comentário. Adorei o modelito escolhido para vir a esta festa de palavras. Muito original. Eu não tenho nenhum desses equipamentos. Há muito tempo atrás, ganhei um salva-vida de sonhos. Não vou a lugar algum sem usá-lo.



Volte sempre que quiser minha querida.


Te abraço com carinho.

::::FER:::: disse...

é como eu sempre digo: os dias vão passando e acumulando, só os dias podem levar o que aconteceu , enquanto acumulam-se, uma montanha de dias é formada e logo nos encontraremos la em cima. A escalada foi dificil mas a vista é maravilhosa!




:::FER:::

Cau Bartholo disse...

Profundidade arrasadora, gostei dos seus textos, e adorei o blog.

Beijão

Roberta Mendes disse...

Ontem mesmo fui à Travessa e perguntei ao livreiro o que havia de novo para ser lido que me tocasse. Ele sugeriu um determinado autor, premiado recentemente. Eu perguntei: emociona? Ele sugeriu outro, antecipou dizendo que escrevia bem, umas imagens inusitadas. Eu perguntei, irredutível: emociona? Era difícil fazê-lo entender que eu só queria o que me tocasse no fundo, o que me tragasse e sorvesse, sem margens em que me agarrar - amor marginal por todo excesso. Transbordo-me para transgredir.

Luzia Medeiros disse...

Oi Pipa!!!Muito lindo seu texto, os amores são assim, as vezes teimosos e invenciveis querem morar num só coração e acabam adoencendo a gente. Não dá para não ficar meio doido e triste sem ter com quem dividir o amor.
Se fica num coração só, ele quase mata a gente!
Mas enfim, adorei! Vc escreve como quem faz uma mágica! Leve, colorida e inspiradora!
Tb escrevo em meu blog, se quiser visitar, será muito bem vinda!
Bjs

Karine Bass disse...

Peguei meu óculos 3D antes de entrar, desculpa se não bato à porta mas vim sentir de perto, ver de perto, embora seja estranho e difícil ver amor onde não tem, se quiser te empresto meus óculos.

Doce pipa, a voar no horizonte.
Deve ser os bons pensamentos que a guia por todo o azul. Céu.

z i r i s disse...

É o que tem feito ela, furando o bucho ransoso da escuridão com as agulhas que carrega nos olhos. Sempre re-inventando o amor.

Que triste uma coisa assim dessas de não ter agulhas né Pipa?

Mulher Vã disse...
Este comentário foi removido pelo autor.