3.18.2010

Despedida






"Hoje, te liberto de mim, para sempre.


Não é a minha vida que tiro. É a tua que devolvo.


Não estarei mais em nenhum lugar."


 
 
(ele, o Rodrigo Leonel)






"Cuidado: Isso é uma casca de banana" – falei. O monstro de chocolate resolveu dar as caras. Chegou num tanque de nitrogênio, hasteando uma bandeira preta com uma caveira e uma cruz. Tinha nas mãos uma arma letal que disparou na minha direção, me congelando na hora. Nem deu tempo de eu pegar as armas químicas de destruição em massa. Eu não tinha nada nas mãos, a não ser um lápis e um guardanapo. Não sei o que o fez pensar que podia ser atacado. Eu havia preparado uma surpresa para ele. Não vou contar a vocês. Mas acho que ficou boa considerando que eu só tinha seis gramas de paciência, três grãos de esperança e um tablete de boa vontade. Busquei respostas esta noite Senhores, que nunca vão chegar ao meu coração. Porque se chegassem, eu não passaria dela. Saí de lá pisando em nuvens de lixívia e carvão, enquanto ele me observava pelas costas indo embora para sempre. Eu contei toda a verdade sobre mim. Finalmente confessei que uso bobs de latinha. Fiz tudo certo, embora no momento errado. O monstro de chocolate franziu a testa decidindo se me catalogava como uma louca ou se me concedia o benefício da dúvida. O fato é que ele foi incisivo: Não sei por que eu te procurei – talvez por carência, solidão. Me pediu para que eu não agisse como se eu já não tivesse ido embora - Acho que ele se esqueceu de havia me expulsado. Não sei armar o que eu senti depois de ouvir aquilo. Eu te perdôo amor meu, por cada segundo que me violentastes em sua cama de espinhos. Agora feche os olhos, que você não é vivo mais. Por muitos anos, investi contra um muro até meus ossos rangerem com uma coragem, que no fundo perdiam. Era um muro alto de tijolos vermelhos, toscamente dispostos entre o cimento que sangrava nas fendas. Eu não desistia. Ainda que eu voltasse para o nada, sabia que um dia o venceria. Eu tinha que desvendar o mistério.  Sempre achei que atrás daquele muro houvesse um rubi aquilatado. Esta noite, decidi me jogar contra ele. A poeira subiu pelos ares, e gesticulou para mim de modo que me afastei alguns passos. Eu me arrebentei naquele muro, Senhores. Mas um a um, os tijolos cederam. E a parede caiu. Quando olhei do outro lado, cadê meu rubi? Para mim o monstro de chocolate era um rubi. Fiz o que não era possível para protegê-lo. E agora descubro que ele é falso.





P.S.: Este foi meu último post do A gente podia se ver no ar. Me despeço  de todos os raios de sol que entraram em minha vida. O motivo deste blog deixou de existir. Deixo com ele todos os meus sonhos. Eu não queria estar aqui, nessa cidade, nesse país, nesse planeta onde somos freqüentemente forçados a largar a alma em algum lugar.


Adeus, hermana, vou enterrar um outro pedaço de mim no cemitério da Consolação.

Nos vemos num outro tempo, num outro tom de anil.


Pipa. A que sonhava.



31 comentários:

Winny Trindade disse...

Ah, não!!
Que triste tudo isso!
Talvez sonhar não seja o bastante... é eu sei!!!

Beijo, pequena Pipa!

PS: sonhar é o essencial!!

Velhosantiago disse...

Que bonito é já saber onde não se quer estar! Já se pinta de azul um destino que antes era preto, e dessa cor se colore agora cada passinho (apressado, espero) seu, pq ser feliz é coisa de ontem! Hj é gozar da vida. Te dou belos sapatinhos vermelhos, confortáveis, para atravessar esse céu que já sabes qual é.

Agora pego alguns sonhos que tu deixas, pra te ajudar a se desfazer. Eles não pesam-te os ombros, então sorria! E nunca esqueça, por favor, de levar os olhas deste velho por aí, por onde minhas pernas não conseguem mais trilhar.

bjo, bjo, e mto chocolate.

Costureira de estrelas. disse...

Linda Pipa!
Fiquei tristinha com seu recado =/
Mas espero que vc fique bem... Muito bem... Que busque novos ares e que esses ares sejam ainda melhor de se respirar, de voar, de vidar!
Vc é uma lindona...
Que tá lá no meu céu!
E sua estrela brilha, brilha, brilha... Sempre!
Abraço forte, em vc... Que querendo ou não é sonhadora :)
A gente se vê no ar ;*

Ailмα... disse...

Piipa..
É com muita tristeza, nostagia e lá no fundo um sentimento de "ai que sorte a minha de tê-la conhecida..", que venho cá te dizer que foi lindo voar e sonhar com você..

Os voôs com você são mais altos, mais bonitos..

Vou sentir muita saudade sua.
Que honra ser lembrada nesse momento.
Que bom que tive a sorte de te conhecer e a oportunidade de ler as preciosidades que você guarda aqui nesse céu..

Beeeiijos*)

Pedro Antônio disse...

Ham?

Como assim? Pipa nunca morre, não pode!

Escuta aqui, venha para a Torre. Ela é mágica. Assim que você entrar nela voando, com sua rabiola tremulando ao vento, eu tenho certeza: tudo vai mudar, até a sua vontade torta de deixar de existir. Onde já se viu uma coisa dessas? Pipacídio? Não vou deixar. Pipa, já pro céu voar!

;)

Pedro Antônio

dansesurlamerde disse...

não vai...

Ana disse...

Não devia parar de escrever
Foi ele quem morreu, não você.

Um beijo

Ziris disse...

Eu já entendi Pipa, não vou mais te ver quando levantar meus olhos pra caçar nuvens...

Eu já sei que vou chorar de novo.
As pessaos estão sempre com presa e partindo...
Não serei egoísta, as vezes dói insuportávelmente. Só peço, que um anjo de asas degradê, faça sombra em vc, pra sempre!

Eu fico ainda, não consigo me despedir da caneta, somos apenas eu e ela! Tô com medo do monstro invisível que mora no meu quarto, tô dormindo na sala, debruçada na escrivaninha...

Te abraço como se tudo não tivesse passado de um sono. Adeus Pipa querida, vou indo tentar desamarrotar as maças do meu rosto...

Amo-te muito, não te esqueças alma boa, de quem sopra aromas brilhantes nos teus caminhos...

Amo-te sempre. Ame-me sempre!

Márcio Vandré disse...

Li a sua despedida e ela se somou com o seu último comentário.
Uma pena, de fato.
Não esperava que fosse partir e até me preocupei.
Poderia voltar ao mundo do blog com outro pseudônimo! :D
Vai fazer falta.
Um beijo, Pipa!

Serena-Cris disse...

Não. Eu não deixo. E como menina-teimosa que sou, carrego você comigo. Até nas costas se voce quiser!

Engole a dor e alimente-se de versos. E ponto.

te espero ainda*

=)

Serena-Cris disse...

.

Não. Isso não é justo.

garotabossanova disse...

Tenho certeza que um dia vc volta. Ainda que reinventada. Porque quem nasceu para abraçar palavras, não vira as costas para a multidão. Um beijo!

Priscila Mondschein disse...

Fico triste, acompanhava sempre seus escritos (em silêncio!)...
Espero que continue escrevendo, vc o faz muito bem, de verdade!
Um beijo!

renata carneiro disse...

que pena, pipa.
que pena que você não vai voar mais por estes ares.

por outro lado, desejo, com toda força que pode caber dentro, que você encontre outros ares. mais leves.

mas, não esqueça de me chamar. oks?

beijo

Sara disse...

As vezes é preciso ir mesmo com vontade de ficar...
Aqui fica seu cheiro no ar...
Vai tem muito mais além deste ar, voa pipa...
sentirei saudades de suas cores nestas nuvens...
beijinhos.

Pollycléssio Mota Sá disse...

Aquele que pensava muito, o Renato Russo...

"Mudaram as estações, e nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu. Está tudo assim tão diferente. Se lembra quando a gente, chegou um dia a acreditar. Que tudo era pra sempre, sem saber, que o pra sempre, sempre acaba..."

Que este pensamento esteja correto quanto à inspiração poética de Pipa, eu continuo a dizer que há muita água nessa fonte...

Bj carinhoso do Filopatia...

ErikaH Azzevedo disse...

Não sei mais o que dizer a ti menina...

Visito-te sempre, leio esse post..os comentários que tentam te trazer de volta a ti mesma, antes de te trazer até aqui..a nós....e fico sem saber o que posso a mais dizer.

Talvez nada, mas por mais que não te diga palavras, fico eu aqui com o meu torcer pq a esperança de que esta tua decisão de ir embora fosse temporária tu pareces-me que contigo já levou.

Peço a Deus que te enchas de vida, que te devolva as asas e que elas sejam ainda mais fortes, e mais ainda que te encha de vontade de voar pq sei que só assim poderei te ver passeando novamente no céu.

Um beijo que tb abraça

Erikah

Fabrício Santiago disse...

eh, minhas 3 gotas de lágrimas pra vc, putz, achei que isso não acontecia mais comigo. Não, não desita, reconsidere...motivo, motivação....essas coisas vêm de dentro, sei lá....não pode tudo ser só 3 gotas de lágrimas, pode? ah, esse mundinho.......
bjs
PS: Postei a parte 3 de A vingança de Lampião, vc já passou por lá? Te aguardo...A parte 4 logo vai sair.
*** quem sabe isso não te dá motivo?!

É Um Morango disse...

Pera aí, eu li bem??? Não, nãoooo :(

Tudo vai embora. Todos vão embora. Se tudo acaba, então, meu Deus, pra que se vive? Pra que?

Pra que?

- gabriela. disse...

*-*

Pipa. A que sonhava. disse...

O monstro de chocolate não apareceu mais. Deve estar ocupado com a páscoa. A fábrica dele trabalha duro nesta época do ano. Quem sabe ele não derreteu e está tomando outra forma! Não dá mais pra enfrentar essas noites sem estrelas. Então faz de conta que o céu tá bonito. Preciso tapear minha amargura com doces, que é pra ver se ela passa. Tomara que os poetas tenham razão. Tomara que por trás do que as pessoas falam exista o que elas realmente sentem. Esperem um minuto - Será que ele disse o que pensava ou que sentia? Voltei ao bosque. A velhinha corredora que me dá sorte apareceu hoje. Estou tentando manter distância do fantasma que percorre os corredores daqui. Mas ele me acha em sonhos. Soube que ele partiu na madrugada de ontem em pleno anonimato. Viajou com nome falso a bordo daquele navio cargueiro carregando a pedra que o velho hippie deu pra Pipa. Aquela pedra representa o amor deles dois. E ele não a devolveu. “O silêncio” era o capitão do navio. E só viajava de pé. Tinha uma meia-dúzia de “tubarões martelo-da-razão” seguindo o navio desde de pouco depois da escala na ilha da emoção. Ah minha Nossa Senhora do Cerrado – Valei-me. Chover é pouco aqui dentro gente. Neva. É um dilúvio em pó. A única luz que vejo é dessas duas velas que se abraçam num bruxeleio templário. Meu coração está viúvo de guerra. Foi golpeado de morte. As palavras dele chegam até mim encapuzadas e com revólveres na mão, me assaltando sem deixar nenhum trocado para o ônibus. Levaram até meus sapatos de chuva. Não tenho mais para onde ir. E vou voltar para o que? Tenho tido visões com um anjo de asas degrade. Só que ele nunca mostra o rosto. Trocaram o mar atrás da minha janela por uma lagoa de patos esparramados pelas cortinas de mato. Verde-musgo. É assim que eu vejo gente. Meu coração neste início de abril parece uma balsa fria e hostil excursando pelo infinito. Eu só queria abrir os olhos e ver o sorriso dele antes de perder os sentidos. Antes eu escrevia para lembrar. Hoje, escrevo para esquecer.



Obrigada pelo carinho de todos. E pelos e-mails que tenho recebido. Recebam minhas satisfações. Mas não. Eu não estou de volta.





Um abraço de urso polar.




Pipa. In.: A coisa está preta. Realmente preta.

ErikaH Azzevedo disse...

Eu li a pipa..eu senti a pipa.

Mandei pra ela um pé de vento quentinho, desses de qdo a gente suspira, desses que sai da gente qdo a gente respira e nos lembra que dentro de nós sempre é quente.
É q quero-te ver acendendo a chama novamente e q ela seja com aqueles espectros de cores, mil cores...um arco-íres de dentro.

Um bjo à menina que um dia vi voando lindamente....e que tenho saudades de ver lá em cima no céu novamente.

Um bjo sim, q te chegue aí

Erikah

Jaya Magalhães disse...

Pipa...

Pó de estrela.

Pollycléssio Mota Sá disse...

Gostaria que o plano de vôo fosse retomado, assim o vento impulsionaria a Pipa pro mais alto céu, assim voariamos também ao encontro de tão belas ideias.

Filopatia, o que acredita no retorno...

bj

Lister disse...

Espero que o monstro de chocolate e vc façam as pazes. Entendi o monstro de chocolate no post logo abaixo. Ele se afastou foi por medo, foi para protegê-la que coisa bela. Mas o seu imenso amor o trará de volta. Eu sinto. Eu sinto que essa história não acaba assim. O final é feliz.


Vou rezar pra meu pai ogum.



Escuta, há muito te acompanho em silêncio, que nem novela, comento com os amigos. E hoje não aguentei. Você foi meu defensor Pipa, e sou eu quem te implora.

Vai.Vembora.Volta

Lister

Ziris - a que torce pela Pipa, muito! disse...

Pipa, ouviste o tirilintar de chaves por detrás da porta quando tentava abrí-la? Era a tranca, a tranca! Um dia sem mais nem menos, bateste, empurraste com gosto e não haviam mais chacoalhos avisando da proibição... Não espere convite, entre. Vai com tua roupa mais bonita e essa carinha linda de menina que sabe o quer. Deixa pra lá essa sopa de pedras, deixa esfriar, até que esteja indigesta pra qualquer engolidor de durezas. Eu pressinto que é bem detrás dela que descança o soro pra essa picada dolorida. Você nem imagina como são feitos os soros, Pipa!

Te rezo!

Leo disse...

Já que tu pousou, podia ser no mar, assim, a gente podia se ver no mar, com tons de azuis celestes, e chegaríamos numa praia longinqua, numa ilha, lá bateria um vento forte, capaz de te fazer decolar novamente, e vermos a pipa brilhando no céu como uma estrela, como deve ser.

Beijo.

Pipa. A que sonhava. disse...

O mar. Queria tanto ser essa água. Dali era possível saber que tempo estava para majestade. Não fosse o fato de que minha vida estava para picadeiro. Tem terra sobre os meus óculos de leitura, Leo. Estou tentando limpar as marcas de pisadas entrando no apartamento, mas elas não saem. Grudam feito piche. Então era você o anjo de asas degrade. Como é bonito o teu rosto.



P.S.: A Pipa ainda tá levantando os calcanhares... Ficando leve, logo mais dividimos a brisa e os azuis.



Enquanto isso, a gente se vê no ar.


Um beijo.

Serena-Cris disse...

.

Do fuzuê, levo lembranças tão boas ... das levezas e amizades que ele me trouxe ... e uma delas é vc, Dona Pipa. Queria tanto te acolher em meus braços, te dizer: olha, vai por esse caminho, porque outro é mto dificil'. Mas não dá. Vossos destinos foram traçados na maternidade, se é que ocê me entende ... Então vá, que eu te abençoo daqui. Coração grande que nem o seu, chega onde quer! E esse tal ponto de chegada, nós já sabemos qual é ... só tá faltando a luzinha ... aquela verde ... da passagem livre!

Um sinal, meu Deus, um sinal pra ela...o semáforo está no laranja ... só no aguardo...

te tasco um beijo*

=)

SMM disse...

Lindo blog! Se puder me visite, http://sindromemm.blogspot.com

Anônimo disse...

Por que nao:)