12.19.2009

Sobre Guerras Internas

E tenho dito: “Nexium 20 mg já não adianta mais”. Ontem o cardiologista me recebeu com um tapa. Depois de eu ter lhe dito que precisava de um outro remédio para ficar invisível em locais com muita gente, a fim de poupar-me de pessoas que só falam abobrinhas, couves e outros hortifrutigranjeiros. Reagi com uma certa felicidade por ele descoberto a minha incapacidade de me relacionar com os outros. Será que ele vai me deixar hoje na próxima esquina? Mas teve alguma espontaneidade naquilo. Tiro do pulso este relógio parado. Recuso-me a contar o tempo, porque não gosto de desperdícios. Da minha janela, algumas nuvens aéreas pastam calmas sobre as antenas e telhados desbotados. Limpo os sapatos sujos de equilíbrio sobre a lama. Enquanto o ciúme escorre pela boca, se perdendo em curvas obsessivas. Mas que pressentimento ruim eu tenho agora. Vim a descobri-lo no caminho de volta pra casa, e o empurrei para o resgate. Aquela velha necessidade de lutar contra si mesmo. Ele não pode suspeitar até que ponto está em poder do medo, porque o pensamento está tão deformado que não há mais linguagem comum entre razão e emoção. Essas exigências fantasiosas que ele tem de mim acontecem com muita freqüência. Ontem pisei no seu calo favorito. E consegui despertar a atenção dele, para que me enxergasse sem nenhuma piedade. Em apenas uma hora eu o tornei desconfiado, desperdiçando conjecturas com uma criança de colo. Então agora que nos apresentamos devidamente, vamos começar.
Pipa.

8 comentários:

Cris Ravazolli disse...

Reage pipa =(

ticoético disse...

hehehe,gosta de provocar hein...hehehe,mas enfim,belo texto.
abraço !
ps: o teu eu-lírico não é você,ou é?!

Anônimo disse...

Não consigo chamar a atenção dele... nem por piedade. Já amarrei uma melancia no pescoço, já me fingi de árvore, já fiz até promessa pra ver se ele me nota. Ma ele é só desejo... quando nos encontramos ele não me vê, só sente o meu calor, que segundo ele, parece imã. Agora, ele longe dos olhos, não sei o que penso.... não quero querer esperar....mas ainda assim espero...e a luta comigo mesma continua!

Vanessa Souza Moraes disse...

Viver não tem remédio, Pipa...

Beijo.

Costureira de estrelas. disse...

Já disse que gostei do texto, né?
E tem algo que vc escreva e eu não goste?
Vamo construir castelos de areia, moça!
:)
Beijones, minha querida Pipa :**

Anônimo disse...

Belo Texto (:



Flor

Flor disse...

Remédio nenhum funciona. E nada funcionará. Não funciona comigo também.
E eu descobri porque há pouco tempo... Porque talvez nem eu queira. Porque eu Gosto.

Um beijo.

Anônimo disse...

Enigmática.
Me diga como você pode?



Um beijo

Vitaum