11.02.2009

Dos sonhos

 Ali está minha alma gêmea. Correndo pelos campos, debaixo dos céus. Onde tudo é colorido e as promessas não se perdem no vento. E que mesmo as estátuas seguram coroas de corações. Que quando a chuva cair. Eles possam estar quentinhos abraçados com a música de dentro. Tombados de saudade. Esperanças amanhecendo com beijos de sol. E que pela manhã. Suas bocas só sejam caladas com selos de “P.S. Eu te amo”.
Pipa. A que sonha.

6 comentários:

bia martins disse...

^^

Anônimo disse...

Parei pra você.
Parei.


Posso ser o seu amor se quiser ... rs


Tiago Vasconcelos

Anônimo disse...

Eu nem vou dizer meu nome.

Esse poema me fez chorar, cara! pô...

Noemyr disse...

Vc é uma linda Pipa!!! =)

E por isso ganhou selo!
Passa lá no blog :*

Anônimo disse...

Estátua segurar coroa de coração? Foi muito original.
Parabéns menina!
Você escreve muito bem.


Ivan

Anônimo disse...

"E as promessas não se perdem no vento..." Como é triste criar sonhos e expectativas com as promessas .... que se perdem ao vento.Haverá um dia que as promessas se tornarão um concreto que de tão sólido não conseguem e nem querem voar?