9.11.09

A Carta


René Magritte, 1940.


"Para Pipa, 

aquela que queria desistir dos sonhos:

Preocupa, não. Quando a gente perde uma das asas, a gente remenda e apara a outra. Ás vezes se apóia na asa do anjo que mora ao lado. Outras tantas, se apega em rezas, versos bonitos, cantoria solta e sorriso largo. No começo parece dificil. Mas é só no começo. Depois vc se acostuma e vai. Sem medo. E volta a ter gosto de sonho na boca. A hora que tu acordares, já estarás 50% refeita. Os outros 50 % virão com o tempo. Mas só se vc acreditar. E acredita com força. Porque se a gente não acreditar, a gente morre de tristeza. E tira o pé do chão. Porque estamos carregadas de amor por todos eles. 'Te mando retalhos de amor.' E fica bem. Remenda. Costura. Cola o que sobrou. Faz dos pedaços o teu vitral. E bota ele no sol pra aproveitar o reflexo. Depois faz mágica. E planta flor.

Besos, pequena fagulha da luz do mundo!"

Cris. A que sonha

Nenhum comentário: