Header

Header

10.29.2009

Porque se chamava sonho

Sob este sonho de tempo. O céu azul voltou a espiá-la com um dos olhos. Ela pensou que poderia ser diferente. Costurou mais flores na parede azul de seu coração. E as borboletas perseguiam a criança-sonho que juntava todos os pedaços que perdeu nessas andanças. Porque agora o sol derretia devagar a neve que caíra em seu quintal. É que não podia abaixar mais. Ela já estava no chão. E dele, ela fez jardim. E cultivou com ternura um canteiro de estrelas. E as cercou com purpurinas. E na dor plantou sementes de girassóis que nasceram amarelo-ouro. Um, após o outro. Porque é a cor que ela vê. Especialmente nos dias em que fé é pouca. Ela os colore com as cores que gosta pra ver se eles não estragam.
Pipa A que ama

2 comentários:

Anônimo disse...

Senhor Deus...

Continue...

Não pare nunca...


Preciso disso pra ter paz.

Cris disse...

é a minha Pipa! A que voa!

besos

.