10.27.2009

Eu sempre soube que eras azul

Ela disse que não consegue mais ver desenho nas nuvens. Ficou doente dos olhos. E que a única coisa que pode fazer é rezar. As lágrimas orvalhavam sua alma camponesa. Vi seus raios sol sendo ofendidos pela escuridão dos que a cercavam. É que lhe amarraram um peso na ponta dos pés. Tomaram suas virtudes emprestadas. E não as devolveram. Mas não tem jeito. É que ela se alimenta de folhas de livros com poder de lenir dores. Ela não receia mais a chegada do inverno. Porque sabe que a guerra é santa. E que o fim é paz. Das máscaras coloridas é que ela não cai. Porque toma banho de arco-íris todas as manhãs. E tais cores a fazem sonhar grande. Pra acordar colorida. Ela escala as mais altas montanhas para avistar o céu. E segue seu vôo num bater de asas sereno que derrama flores e frutos por onde passa. Soube que a última safra não foi boa. Não faz mal. Semearemos de novo. E colheremos os frutos mais saborosos. E vamos estocar sonhos para os dias difíceis. É que as gaivotas acreditam na mudança dos ventos.
Pipa. A que tem fé.

4 comentários:

Noemyr disse...

Lindíssimo!!!
Sim, vamos estocar sonhos =)
Beijos :*

dbm1818 disse...

Lindo...muito bonito...cada um mais que o outro.Parabéns!! Bjim
Dalton.

Mariana disse...

Gaivotas me levam com vento!!!! issso me faz crer q depois arco-íris a felicidade me espera!!!!! bjos coloridossssss

Cris disse...

menina-clara,

vc é luz no meu caminho! assim, posso até respirar aliviada...

leve, levíssimo!

besos

.